quarta-feira, 6 de maio de 2015

Processo de escrita - Emílio Miranda






O escritor Emílio Miranda partilhou gentilmente com os seguidores do blog o seu processo de escrita, algo que considero sempre interessante para percebermos melhor como funciona a cabeça de um escritor.

Espero que gostem e caso queiram podem colocar questões ao escritor, acredito que dentro das suas possibilidades terá todo o gosto em responder :)

Desde já o meu obrigado ;)



Desafio: falar um pouco do meu processo de escrita, do que procuro fazer em cada livro… Ou do que cada livro acaba por fazer por si…

Antes de mais: os meus livros nascem e crescem como seres independentes de mim. São filhos desejados, mas feitos sem planeamento. Como todas as paixões nascem de uma faísca que incendeia o Universo…

Não teço esquemas. Cavo a terra e depois, como todo o jardineiro, aliso-a: retiro pedras e ervas daninhas. Mas, algures, fica sempre um pequeno caos inexplicável. Porque a vida não obedece a ordens: ela é espontânea. E como tal, pretendo que os meus livros, não sendo necessariamente retratos da vida, se sustentem nela.

Inicialmente escrevo de forma caótica: esboço personagens, traço caminhos.

Algures, num momento que pode ser tudo menos provável «entendo» que é tempo de começar a organizar o caos.

Como quem planta um jardim ou mobila uma casa procuro o lugar das flores, disponho os móveis nos locais que eles escolheram. As personagens revelam-se: contam as suas próprias histórias. Naturalmente as vidas cruzam-se. Tecem os seus próprios laços e os seus próprios caminhos.

Há sempre muito de poético nos seus pensamentos, no seu sofrimento, nos seus sonhos.

Mas, como na vida, há pontas soltas, caminhos que se interrompem bruscamente, explicações que nem sempre são claras.

A vida é feita de equívocos e de enigmas, de encontros e desencontros. Porque deveriam ser os livros diferentes?

Há coisas que não se explicam, apenas se sentem.

Os livros são um mistério que se revela até onde eles próprios desejam. Ou melhor, até onde cada uma das personagens deseja revelar o seu.

O fecho pode ser um outro reinício. A vida é uma sucessão de reinícios.

Fui claro?

45 comentários:

  1. Bem antes demais quero agradecer ao escritor a partilha do texto gostei muito sem duvida :)

    Deixo aqui a minha primeira questão, pelo que percebo gostas de escrever no género Romance Histórico, algo que quanto a mim pode ir um pouco contra o teu processo de escrita, pois deve ser feito primeiro um estudo quer das personagens, quer do local onde a ação se passa e depois sim com esse estudo prévio então fazer crescer as personagens e enredo, estarei certo ?

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Normalmente aparecem primeiro as personagens, que «transporto» ou me «transportam» para um determinada época - normalmente distante, já que é no passado que gosto de viajar. Enquanto elas começam a revelar-se a contar as suas histórias, os acontecimentos começam a surgir «naturalmente». Procuro então sustentá-los na época, confirmar dados, datas, atestar verosimilhanças. Os meu romances são pura ficção. Alguma coincidência com o que contam da história é mera coincidência da História. Os meus livros acontecem, a História não sei. Abraços.

      Eliminar
    2. Ois,

      Faz todo o sentido sendo colocado desta forma e é bem verdade muito do que se fala da História, em especial do mais antigo, muitas vezes é pura especulação, pensa-se que se terá passado daquela forma :D

      Já agora há algum escritor que possa ter influenciado na tua escrita ?

      Consideras importante um escritor ler muito para ficar melhor preparado para escrever um livro ?

      Ai que melga :D

      Eliminar
    3. Já falei sobre isto. Salvo casos de genialidade - muito raros, suponho - não há bons escritores que não tenham sido grandes leitores. É preciso ler muito, intensamente. Reler muitas vezes. Porque a escrita resulta de um impulso de superação. Fazer melhor do que aquilo que se escreveu. Escrever o livro que nunca ninguém escreveu, etc. Mas depois há, também que escrever muito. Muito. Muito. Há que respirar palavras, beber palavras, comer palavras, sonhar palavras.

      Eliminar
    4. Todos os escritores nos influenciam, até os que escreveram obras medíocres. Os que me influenciaram mais - e falo dos grandes - distribuem-se pela literatura europeia em geral, pela russa em particular, pela americana, a norte e a sul, enfim, por um pouco de tudo. Com muita BD à mistura. Mas não são apenas os grandes escritores - aqueles com mais visibilidade - que escreveram grandes livros. Há escritores anónimos que podem revelar-se grande e fantásticas surpresas.
      Ah, não me esqueci da nossa literatura. A nossa é das melhores do Mundo. Como ignorá-la? Camilo, Eça, Aquilino, Herculano, Ferreira de Castro, Fernando Pessoa, Camões, etc, etc, etc. Lobo Antunes, Saramago, e tantos e tantos outros...

      Eliminar
    5. Sim concordo com tudo o que referes penso ser determinante um escritor ler muito e sim há sempre escritores que acabam por nos influenciar :)

      Como decorre o eu processo de revisão, recorres a leitores beta antes de publicar um livro e se sim se segues algumas sugestões que te indicam.

      Já agora achavas interessante desenvolver um personagem de acordo com uma indicação de um teu leitor ?

      Por exemplo de acordo com uma ou outra indicação tua do que pretendes um leitor teu sugeria um personagem..... nordico, de forte constituição e um excelente arqueiro (depois o leitor seria surprendido ao ver o seu personagem num livro - até serve como sugestão / ideia

      Eliminar
    6. Interessante :) Já dei nomes de pessoas vivas a personagens, como forma de as homenagear. Aconteceu com o meu Os Autos da Barquinha. Outro livro que te/vos desafio a ler/em. Num próximo livro - no que estou a escrever essa personagem não se enquadra - vou pensar na tua sugestão. Abraços.

      Eliminar
  2. Boas,
    Faço das minha palavras as do Fiacha, como pode o género Romance Histórico ser escrito "sem planeamento", e sem "tecer esquemas"? Na minha opinião creio que romance histórico deve ser dos géneros que requer mais pesquisa, investigação e exploração de informação, não pode nascer do nada.

    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Luís,

      Duvido que não exista planeamento, mas vou deixar a resposta para o Emílio :D

      Abraço e obrigado pela visita

      Eliminar
    2. A resposta ficou lá atrás. Espero que clara. Não procuro contar como foi, mas como as minhas personagens o viveram. Busco âncoras e depois levanto voo.

      Eliminar
    3. Escrever sem planeamento é uma forma de me surpreender, de gozar a viagem; afinal é disso que se trata - de uma viagem - quando lemos um livro. E, se pensarmos deste modo, as viagens na leitura até acabam por ser baratas, não concordam? Sobretudo quando viajamos no tempo.

      Eliminar
    4. O planeamento é apenas o necessário. Assenta sobretudo em ideias vagas que, passo a passo, vou confirmando. Até eu me surpreendo. Não leio, atempadamente sobre uma época para escrever sobre ela, apesar de já me ter acontecido escrever sobre épocas sobre as quais já tinha lido muito - exemplo, com O livro dos mosquetes (sobre a história do Japão) - e que depois constatei que muita da informação necessária se encontrava armazenada no meu disco rígido :)

      Eliminar
    5. Faz todo o sentido sem duvida e cada vez mais tenho curiosidade de ler esse livro dos Mosquetes passado no Japão ;)

      Eliminar
    6. Os japoneses são um povo fascinante. Este livro é sobre a minha paixão por aquilo que são como povo.

      Eliminar
    7. Não fazia ideia que se podia escrever um Romance Histórico assim :), pelas várias opiniões que tenho lido das suas obras, pelos visto tem resultado.

      Eliminar
    8. Luís, a História não é; revela-se. A melhor discrição da Batalha de Borodino (ao tempo que li este livro: espero não estar a enganar-me no nome) - entre russos e franceses - foi feita pelo Leão de Tolstoi, no seu Guerra e Paz. A História também é literatura. Aliás, os factos são a notícia. A História é a notícia tratada pela literatura... Será que divago?

      Eliminar
    9. Outra coisa, Luís. É sob as estátuas que se encontram os heróis. São esses que procuro. E esses são afinal pessoas iguais a todos nós. Abraços.

      Eliminar
  3. Olá Fiacha

    Eu adoro o histórico, é o meu género preferido, também gostei muito deste texto.

    Comprei o 1089 já comecei a ler e estou a gostar muito.

    Qual é o blog do autor??

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Elsa,

      Espero que gostes e o resto deixo para o escritor :)

      Bjs

      Eliminar
    2. Não tenho blog, apenas páginas de facebook, onde publico sobretudo poesia ou pequenos textos/pensamentos. Tenho um site.
      Deixo aqui os links de todos:
      https://www.facebook.com/profile.php?id=100000356193054
      https://www.facebook.com/EmilioMirandaEscritor?ref=hl
      www.emiliomiranda.com

      Eliminar
  4. Olá!

    Gostaria bastante! Gosto saber sempre o processo criativo dos escritores, como desenvolvem as histórias e as personagens! Venham mais assim.

    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Isaura,

      Sem duvida que é interessante e muito ainda podemos perguntar, seja como for fica aqui a sugestão para fazer mais mensagens deste tipo :)

      Bjs e ainda bem que gostaste

      Eliminar
    2. Obrigado. Estou ao dispor para responder a questões e revelar um pouco mais do que «sei». Os livros sabem mais de mim do que eu deles.

      Eliminar
  5. Olá Emilio
    Gostei bastante do teu texto, se bem que para mim tens falado mais do teu processo de escrita nos comentários aos comentários do que no texto que apresentaste. :D
    Isto sem qualquer tipo de critica, porque o texto, muito bom, surge para mim como uma divagação, quase poética, sobre as aventuras e desventuras das ideias sobre um papel... a vida que sopra entre ideias...e ideias que se transformam em personagens ...que apresentam histórias .... e que num final todas têm de ser colocadas em ordem e nos respectivos lugares :D
    é claro que também é o processo de escrita, mas quando vi o titulo do post, pensei mais em pesquisa, em criação de personagens, em ... coisas mais praticas :)
    Gostei muito

    Muito sucesso

    Olá Fiacha
    não me vou repetir mas parabéns pela divulgação e tudo o que já referi no comentário sobre o livro do autor

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os comentários são a continuação ao processo de escrita. O livro continua a escrever-se. Veremos até onde nos leva. :) Obrigado :) Abraços e boas leituras.

      Eliminar
    2. Viva Caminhante,

      Antes demais obrigado, sabes que este blog tem muito do teu incansável apoio e sim sempre que posso divulgo e leio os nossos escritores, aqui está mais uma prova que talento não falta por cá tens mesmo que ler é só dizer já sabes :)

      Podes fazer perguntas ao escritor acaba por tornar a mensagem ainda mais interessante :D

      Bjs

      Eliminar
    3. eh eh a raposa anda preguiçosa ultimamente .... :D

      Eliminar
  6. Olá,

    foi com grande curiosidade que comecei a ler este post, para poder conhecer a forma de escrita do autor. E posso dizer que fiquei muito agradada. É um privilégio para nós, leitores, termos autores que gostam e aceitam partilhar estes temas connosco. Muito obrigada pela partilha! =)
    É uma forma de existir uma proximidade entre autor e leitor que é de enaltecer!

    Eu confesso que gostava bastante de ver por aí um livro meu e espero conseguir, um dia.

    Gostei muito!

    Beijinhos e muito sucesso!
    E obrigada ao Fiacha pela divulgação incansável que faz aos nossos autores =D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado. É um prazer estar aqui a falar do que escrevo. Não só pelo que escrevo, mas pelo prazer que me dá escrever. Abraços e boas leituras e escritas. Ficamos a aguardar esse livro :)

      Eliminar
    2. Viva lamora :)

      Se um dia tiveres um livro teu sabes o quanto me dará gosto ler e divulgar ;)

      Pelo que vejo os seguidores gostam deste tipo de mensagem, tenho que fazer mais :)

      E já agora recomendo-te a leitura tens parceria com a Marcador quem sabe o possas divulgar, vale bem a pena ;)

      Bjs e caso queiras colocar alguma questão força :D

      Eliminar
    3. Venha ele Miss Lamora, já estamos à espera :)

      beijinhos e boas escritas

      Eliminar
  7. Olá :)
    Gostei bastante do texto, sempre tive muita curiosidade para saber como se constroem histórias tão completas e com tantos aspetos abordados.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Sara,

      Fico contente que tenhas gostado, quem sabe venhamos a ter mais mensagens identicas :D

      Bjs

      Eliminar
  8. Olá, Sara. Obviamente que cada autor tem o seu próprio processo criativo. E cada um é único. O meu assenta muito no imprevisto. A história tem de me surpreender enquanto a escrevo e por isso não há como deixar as personagens ganharem autonomia. Boas leituras :)

    ResponderEliminar
  9. Olá!

    Adorei este post. Para além de ter adorado a forma como está escrito, é uma ideia bem original. Certamente cada autor tem a sua forma particular de criar um novo livro e agora já conhecemos a de E G Miranda.

    Fiacha, podias pedir aos autores do cantinho para deixarem o seu testemunho. Penso que também era interessante conhecer este processo a partir de mais autores :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Sofia,

      Fica registada a sugestão e ainda bem que gostaste :D

      Bjs

      Eliminar
  10. Olá,
    Achei este tipo de post além de muito original, muito interessante. Não sei se já tinhas feito mais posts destes anteriormente porque te sigo há muito pouco tempo, então de qualquer das formas deixo-te uma sugestão: se tiveres oportunidade continua com este género de posts porque são muito interessantes mesmo.
    Permitiu-nos conhecer um pouco mais a forma como o autor escreve e dá forma aos seus livros. :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois,

      Por acaso é a primeira vez, mas visto a malta ter gostado da ideia já estou a tratar de ver se partilho mais :)

      Bjs e ainda bem que gostaste

      Eliminar
  11. Excelente tema, e apresentado de forma excelente!
    Adorei!
    Parabéns ao Emílio Miranda, e obrigada pela disponibilidade!
    E parabéns e obrigada ao Fiacha, pela oportunidade!
    Estou com a Sofia Pinela, venham mais! :)

    Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Stark,

      Ainda bem que gostaste e já estou a tratar disso, vamos ver :D

      Bjs

      Eliminar
  12. Oi :)
    Gostei do tema :) Tal como a Paula, adorei a forma como o Emílio expôs o seu texto.
    Uma pergunta: o que o Emílio faz quando se encontra num bloqueio de escritor? :)
    Fiacha, parabéns, mais um post interessante ;)
    Beijos,
    -F

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois miga,

      Obrigado e fico contente que tenhas gostado ;)

      Bjs

      Eliminar
  13. Olá, Leituras Secretas. Escrevo permanentemente, mas nem sempre nas minhas obras mais extensas - nos meus romances históricos, ou no romance histórico que a dada altura estou a escrever; o que acontece neste momento; o romance histórico em que estou a trabalhar vai continuando parado -, mas sempre foi assim. Os meus livros levam tempo a ser escritos: às vezes anos. Curiosamente 1089 nasceu enquanto escrevia em 2010 este livro que continuo a escrever e que pensava na altura concluir em breve. Tal não aconteceu e já publiquei outras obras depois disso. Esta é talvez a sorte de quem escreve sem compromissos de qualquer ordem. Escrever, felizmente, ainda é só um prazer. Não sei se acontece o mesmo com outros autores, mas os meus livros não têm sido editados pela ordem cronológica em que foram escritos. Abraços e boas leituras.

    ResponderEliminar
  14. Olá,
    É bom termos um pouco de véu a descoberto sobre o processo criativo e não só. É claro que cada autor tem o seu mas acho muito interessante revelar o que acontece antes do livro chegar às nossas mãos.
    Adorei este post e fiquei curiosa com o livro.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Tãnia,

      Fico contente teres gostado ;)

      Bjs

      Eliminar