terça-feira, 21 de março de 2017

"Terrarium" de João Barreiros e Luís Filipe Silva




Edição Comemorativa dos 20 anos de "Terrarium"

Sinopse:

BEM-VINDOS AO FUTURO E AO COLAPSO DE TODAS AS UTOPIAS POR NÓS SONHADAS.
Estamos a meio do novo milénio e a Fortaleza Europa acabou de vez. Bruxelas não é mais do que uma cratera radioactiva, as zonas costeiras foram alagadas pela subida das águas e a temperatura ambiente aqueceu até o clima ser quase tropical. Quem olhar para o alto, nos raros dias onde ainda se podem ver as estrelas, vai descobrir um anel gigantesco composto pelas carcaças das naves de exóticos migrantes.
Mas isso não é o pior. A verdade é que entre esses exóticos que nos vieram pedir guarida, existem criaturas ainda mais monstruosas que resolveram transformar o planeta num lugar de consumo: num TERRARIUM, a bem dizer…
Preparem-se para viver num mundo prestes a ser assimilado, para o bem ou para o mal, numa nova e efémera Utopia… Agora só nos resta resistir.



Opinião:


Que grande livro, já tive o prazer de ler grandes livros de FC, mas este foi uma surpresa tremenda, um livro repleto de qualidade, apresentando um enredo rico e com muita criatividade, personagens que nos cativam, complexas, bem desenvolvidas e que são sem duvida uma mais valia e uma escrita genial, seguramente que dificilmente se lerá um livro semelhante a este, uma leitura única.

Mesmo sendo um livro tão bom não é de leitura fácil, longe disso e seguramente que mesmo com uma segunda leitura dificilmente se conseguirá perceber na totalidade, mas não deixa de ser uma leitura que mesmo longa ao chegarmos ao final nos sentimos recompensados, pois sendo escrito em forma de contos, não deixam de estar ligados e no final tudo acaba por fazer sentido. Gostei de termos vários finais alternativos.

Não quero entrar muito em pormenores do livro, pode parecer um livro longo e extenso mas apresenta sempre muita ação não tornando a leitura descritiva, alias a criatividade do universo, os mistérios que estão envoltos quer em torno das personagens, de determinados artefactos, dos mundos onde a ação se passa, as tecnologias apresentadas bem características da FC, fará com que o leitor queira ler sempre mais e mais e fique sem duvida admirador destes dois excelentes escritores que neste livro se complementam muito bem (tenho o prazer de os conhecer pessoalmente).

Finalizo dando os parabéns à editora Saída de Emergência pela coragem e vontade de continuar a publicar este tipo de livro, acrescenta seguramente muita qualidade à coleção do qual sou seguidor há muitos anos, são estes livros que nos deixam felizes com o que acabamos de ler, o meu obrigado e que faça muito sucesso.

Um livro de leitura obrigatória, único.


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

"Deus não mora em Havana" - Yasmina Khadra (Divulgação)



Título: Deus Não Mora em Havana
Autor: Yasmina Khadra
Código de Barras: 9 789 725 305 867
Págs.: 256
Preço de tabela (sem IVA): Euros 15,09
Formato: 15,5cm x 23,5cm
Encadernação: Capa Mole cm Badanas

Sobre o livro:

No momento em que o regime castrista perde o alento, «Don Fuego» continua a cantar nos cabarés de Havana. Outrora, a sua voz electrizava as multidões. Agora, os tempos mudaram e o rei da rumba tem de ceder o seu lugar. Entregue a si próprio, conhece Mayensi, uma jovem «ruiva e radiosa como uma chama», pela qual se apaixona perdidamente. Mas o mistério que cerca essa beldade fascinante ameaça o seu improvável idílio.

Cântico dedicado aos fabulosos destinos contrariados pela sorte, Deus não Mora em Havana é também uma viagem ao país de todos os paradoxos e de todos os sonhos.

Aliando a mestria e o fôlego de um Steinbeck contemporâneo, Yasmina Khadra conduz uma reflexão nostálgica sobre a juventude perdida, incessantemente contrabalançada pelo júbilo de cantar, de dançar e de acreditar em amanhãs felizes.


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Terrarium de Luís Filipe Silva e João Barreiros - Divulgação



Edição Comemorativa dos 20 anos de "Terrarium"


Sinopse

BEM-VINDOS AO FUTURO E AO COLAPSO DE TODAS AS UTOPIAS POR NÓS SONHADAS.

Estamos a meio do novo milénio e a Fortaleza Europa acabou de vez. Bruxelas não é mais do que uma cratera radioactiva, as zonas costeiras foram alagadas pela subida das águas e a temperatura ambiente aqueceu até o clima ser quase tropical. Quem olhar para o alto, nos raros dias onde ainda se podem ver as estrelas, vai descobrir um anel gigantesco composto pelas carcaças das naves de exóticos migrantes.
Mas isso não é o pior. A verdade é que entre esses exóticos que nos vieram pedir guarida, existem criaturas ainda mais monstruosas que resolveram transformar o planeta num lugar de consumo: num TERRARIUM, a bem dizer…
Preparem-se para viver num mundo prestes a ser assimilado, para o bem ou para o mal, numa nova e efémera Utopia… Agora só nos resta resistir.


Minha atual leitura e para já a gostar muito, caso queiram podem ler um excerto do livro, aqui


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Bando de Corvos - 2º Volume da serie "Os Outros" de Anne Bishop


Sinopse

Ninguém tem a capacidade de criar novos mundos como Anne Bishop, autora bestseller do The New York Times.


Nesta nova série somos transportados para um mundo habitado pelos Outros, seres sobrenaturais que dominam a Terra e cujas presas prediletas são os humanos.

Depois de conquistar a confiança dos Outros que habitam Lakeside, Meg Corbyn teve alguma dificuldade em perceber o que significa viver entre eles. Como humana, Meg deveria apenas ser tolerada como presa, mas os seus dons como cassandra sangue tornam-na algo mais.

A aparição de duas drogas aditivas foi a faísca que desencadeou a violência entre os humanos e os Outros, resultando em mortes para ambas as espécies nas cidades limítrofes. Quando Meg tem um sonho sobre sangue e penas negras na neve, Simon Wolfgard – o líder metamorfo de Lakeside – pergunta-se se a profetisa de sangue sonhou com o passado ou uma ameaça futura.

À medida que as profecias se revelam a Meg, cada vez mais intensas e dolorosas, as intrigas adensam-se em Lakeside. Agora, os Outros e o punhado de humanos que aí residem terão de reunir forças para parar o homem que se assume como o verdadeiro profeta de sangue – e extinguir o perigo que ameaça destruir todos os clãs.

Críticas

"Bando de Corvos não é só o melhor livro de fantasia urbana do ano, é provavelmente um dos melhores de sempre."
– All Things Urban Fantasy Opinião:

Opinião:


No primeiro volume, tivemos a oportunidade de conhecermos o Universo onde se passa esta serie, as personagens e tudo aquilo que o caracteriza, pelo que este volume acabou por não acrescentar muito de novo ao enredo, é verdade que alarga o universo para fora de Lakeside, conhecemos novas personagens e locais que poderão vir a ser importantes para o futuro da saga, mas continuo a achar que falta aqui algo para que isto melhore substancialmente.

Não deixo de dizer que a escritora sabe criar bons universos, personagens que nos cativam, mas também considero que Bishop falha nos "vilões" e no caso até retira de cena um que tinha um enorme potencial "Controlador". Por outro lado, não é capaz de "matar" as personagens que nos são mais queridas e isso por mais que nos custe poderia ser bom para a "história". Por último e dado o público alvo para que a saga foi escrita, parece-me falhar, por agora, na questão do romance, não que sinta falta, mas acredito que faria as delicias de muitos que estão a ler os livros desta serie.

Não quero por agora estar a adiantar muito mais, espero vir a ser surpreendido com personagens como "Tess" um verdadeiro mistério e que nos vai deixando cada vez mais intrigados à medida que a vamos conhecendo melhor, espero que a protagonista "Meg" seja muito mais desenvolvida e acima de tudo que venhamos a ter mais violência, com personagens mais marcantes a nível de vilões.

Ainda assim e depois de tudo o que disse acabei por ler o livro de forma rápida e fico desde já com muita curiosidade para saber que desenvolvimentos a trama vai seguir, espero ler em breve o terceiro volume.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Letras Escarlates - 1º volume serie os "Outros" de Anne Bishop




Sinopse

Letras Escarlates não é só o melhor livro de fantasia urbana do ano, é provavelmente um dos melhores de sempre. 


Ninguém tem a capacidade de criar novos mundos como Anne Bishop, autora bestseller do The New York Times. Nesta nova série somos transportados para um mundo habitado pelos Outros, seres sobrenaturais que dominam a Terra e cujas presas prediletas são os humanos. 

Meg é uma profetisa de sangue. Sempre que a sua pele é cortada, ela tem uma visão do futuro – um dom que mais lhe parece uma maldição. O Controlador de Meg mantém-na aprisionada de forma a ter acesso total às suas visões. Quando finalmente ela consegue escapar, o único sítio seguro para se esconder é no Pátio de Lakeside – uma zona controlada pelos Outros.

O metamorfo Simon Wolfgard sente alguma relutância em contratar a estranha que lhe pede trabalho. Sente que ela esconde algo e, para além disso, ela não lhe cheira a uma presa humana. Algo no seu íntimo leva-o a contratá-la, mas ao descobrir quem a jovem realmente é e que o governo a procura, ele terá de tomar uma decisão. Será que proteger Meg é mais importante do que evitar o confronto que se avizinha entre humanos e Outros?


Críticas
"Letras Escarlates não é só o melhor livro de fantasia urbana do ano, é provavelmente um dos melhores de sempre."
–All Things Urban Fantasy


Opinião:

Tinha curiosidade em voltar a ler livros da Anne Bishop pois gostei bastante da trilogia “Jóias Negras” e se é verdade que o enredo apresentado não é tão complexo, sem dúvida que a escritora é uma excelente criadora de universos. 

Neste primeiro volume acabamos por ser enquadrados no seu novo mundo, são-nos apresentadas as personagens principais do enredo e, no fundo, funciona como uma introdução para o que ai vem. Como já referi não sendo um universo tão complexo proporciona uma leitura interessante e que seguramente agradará bastante aos admiradores da escritora. 

Não quero estar a comentar muito mais para não fazer nenhum spoiler. Mas resumidamente é um livro que apresenta personagens bem interessantes, em especial Tess que é, sem dúvida, um excelente mistério e acredito que Meg ainda será muito bem explorada nos livros seguintes. 

Uma leitura mais para um público juvenil, mas que se proporciona agradável para outros leitores, espero ainda mais violência nos livros seguintes que acredito tornará a leitura desta saga bem mais "envolvente". 

Pode não ser já de imediato, mas vou regressar em breve a este universo.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

"Jardins da Lua" de Steven Erikson




Sinopse:



O primeiro volume de uma obra-prima que revolucionou a fantasia Épica 


Quebrado pela guerra, o vasto império Malazano ferve de descontentamento. Os Queimadores de Pontes do Sargento Whiskeyjack e Tattersail, a feiticeira sobrevivente, nada mais desejam do que chorar os mortos do cerco de Pale. Mas Darujhistan, a última das Cidades Livres, ainda resiste perante a ambição sem limites da Imperatriz Laseen.
Todavia, parece que o Império não está sozinho neste grande jogo. Sinistras forças das trevas estão a ser reunidas à medida que os próprios deuses se preparam para entrar na contenda…
Concebido e escrito a uma escala panorâmica, Jardins da Lua é uma fantasia épica da mais elevada qualidade, uma aventura cativante da autoria de uma excecional nova voz.


Opinião:

Seguramente o melhor livro que li este ano, mais a mais escrito no género literário que mais gosto, a fantasia, e estamos apenas no inicio de uma obra que tem dez livros publicados, estamos a ver apenas uma pequena parte do que ainda está para vir e o que nos foi apresentado já é muito bom.

Só posso dar os meus mais sinceros parabéns pela coragem de publicar esta obra gigantesca. Já li muitas obras publicadas na SDE mas este escritor está seguramente no topo das minhas preferências com George Martin, Scott Lynch e Robin Hobb por exemplo.

Tem tudo o que gosto de ler, uma escrita de tirar o fôlego e que nos envolve de forma a que ficamos viciados, um enredo muito bem desenvolvido e que se percebe ainda tem muito por ser explorado e personagens, sejam elas principais ou secundárias, muito bem desenvolvidas.

Muitas vezes sou crítico aos elementos de fantasia apresentados nos livros, pois tiram um pouco de veracidade à história ou acabam por ser mal aplicados, não acrescentando mais valias ao enredo, mas aqui a fantasia é muito bem explorada e apresentada, de forma muito criativa. Foi sem duvida um dos trunfos, como por exemplo o sistema de magia existente e nunca pensei gostar de um livro onde deuses interferem no decorrer da ação, gostei.

Não vou estar a desenvolver muito mais até porque se trata do primeiro volume e haverá tempo para aprofundar mais mas sem duvida que é uma saga que recomendo a todos sem reservas, em especial aos amantes de fantasia, só desejo que faça muito sucesso e que os livros seguintes não demorem a ser publicados.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Os Hóspedes de Sarah Waters



  
1922. Londres vive dias de tensão.


Numa casa de gente bem-nascida, no sul da cidade, cujos habitantes ainda não recuperaram das perdas devastadoras da Primeira Guerra Mundial, a vida está prestes a modificar-se.
A senhora Wray, e a sua filha Frances – uma mulher com um passado interessante a caminho de se tornar uma solteirona – vêem-se obrigadas a alugar quartos. 

A chegada de Lilian e Leonard Barber, um jovem casal da «classe média», traz uma série de perturbações: a música do gramofone, o colorido, o divertimento. As portas abertas permitem a Frances conhecer os hábitos dos recém-chegados. 

À medida que ela e Lilian são empurradas para uma amizade inesperada, as lealdades começam a mudar. Confessam-se segredos e admitem-se desejos perigosos; a mais vulgar das vidas pode explodir de paixão e drama.

A autora de Afinidade e Falsas Aparências, entre outros, surpreende-nos, uma vez mais, com esta história de amor que é também a história de um crime.

Esta é Sarah Waters no seu melhor: tensão permanente, ternura verdadeira, personagens autênticos e surpresas constantes.


LIVRO DO ANO – Sunday Times


Opinião:

Mais uma agradável descoberta no catalogo de escritores da Editora Bizâncio, foi o primeiro livro que li da escritora e gostei muito, pois é uma leitura repleta de tensão e à medida que vamos avançando, descobrindo mistérios, revelações que vão acontecendo que nos acabam por surpreender, ficando cada vez mais presos.

Gostei muito da forma como o enredo foi desenvolvido, com um ritmo lento mas que nos ajudam a compreender melhor as personagens, mas que aumenta com o avançar do livro havendo um momento marcante que faz com que o livro mude totalmente deixando-nos completamente suspensos com o desenvolvimento que a trama irá ter.

Resumindo um livro bem escrito, com um excelente enredo, personagens que nos cativam e bem exploradas, acabando por nos fazer sofrer pelo que lhes irá acontecer existindo um constante suspense em saber qual o seu destino.

Um romance que não se fica indiferente, mais que recomendado e que vale bem a pena ler, não tenham duvidas que o dinheiro investido será bem aplicado.

Seguramente que irei ler mais livros desta escritora, fiquei fã e claro permitiu-me variar as minhas leituras mais uma vez.