sexta-feira, 15 de março de 2019

Lago do Silêncio de Anne Bishop - Mundo dos Outros





 Sinopse

As leis humanas não se aplicam no território dos Outros. Algo que os humanos nunca devem esquecer…


Depois do seu divórcio, Vicki DeVine assumiu a gestão de uma rústica propriedade perto de Lago do Silêncio, uma cidade humana que não é controlada por humanos. Na maior parte das cidades, humanos e Outros, os predadores dominantes que controlam a terra e toda a água, convivem num frágil equilíbrio. No entanto, quando não existem fronteiras, nunca se sabe o que está lá fora a observar.
Vicki estava à espera de encontrar uma nova carreira e uma nova vida. Mas quando a sua inquilina, Aggie Crowe – uma dos Outros –, descobre um cadáver, Vicki torna-se na principal suspeita, apesar das evidências de que nenhum humano poderia ter cometido o crime. À medida que Vicki e os seus amigos procuram as respostas, forças antigas são despertadas pela perturbação no seu domínio. Elas têm regras que não devem ser quebradas – e todos os poderes destrutivos da natureza sob o seu comando.


Opinião:

Depois de 5 livros onde acompanhamos o universo e o mundo de Simon e Meg e com curiosidade sobre o que seria a continuação deste, eis que a escritora decide escrever mais um livro, no mesmo universo mas em local e com personagens completamente diferentes. Sim existem Anciões, Vampiros e todos os outros serem que pertencem aos "Outros" mas não deixa de ser um pouco surpreendente esta alteração tão brusca, ainda assim e depois de estranhar até achei bem vinda esta mudança até para variar um pouco, mas a base de como tudo se desenvolve mantém-se.

Gostei de várias personagens, em especial Vicki que é bem desenvolvida e que acabamos por simpatizar, tal como Julian, por aqui não há falta de personagens que simpatizamos, mas penso que falta aqui algo desde o inicio da saga, um vilão mais cruel, que cause mais danos, pois nesta luta já se sabe que no final tudo fica bem, mas não é por causa disto que não deixa de ser bem desenvolvido, acredito que acrescentaria melhorias ao enredo só isto.

Mas visto ser o inicio de uma nova serie, aparentemente, não me vou alargar muito e ver como irá ser desenvolvida, acredito que surgirão personagens que possam dar um valente volte face ao enredo.

A escrita é a habitual, com qualidade e que se lê de forma muito fluída, não é tão bom como o universo das "Jóias Negras" mas vale a pena, personagens que cativam, um universo rico e com muito potencial, que venham os livros seguintes.


segunda-feira, 4 de março de 2019

A Jaula do Rei de Victoria Aveyard




Sinopse:

Quando a faísca da rapariga-relâmpago se apaga, quem ilumina o caminho para a rebelião?


Mare Barrow foi capturada e está impotente sem o seu poder, vivendo atormentada pelos erros do passado. Ela está à mercê do rapaz por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos da sua mãe, fazendo de tudo para manter o controlo de Norta — e de sua prisioneira.

Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante da Pedra Silenciosa, a Guarda Escarlate organiza-se, deixando de agir nas sombras e preparando-se para a guerra. Entre os guerreiros está Cal, o príncipe exilado, que no meio das dúvidas tem apenas uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta. Sangue vermelho e prateado correrá pelas ruas. A guerra está a chegar…


Opinião:

E com este livro se conclui a trilogia  "Rainha Vermelha", onde ficamos a saber como tudo termina e gostei da conclusão, embora algo previsível visto tratar-se de uma literatura para um publico mais para o juvenil, ainda assim gostei de ler a trilogia acima de tudo pela forma fluída como se lê.

Claro que um leitor mais experiente estranha a falta de profundidade das personagens, são, poucas as que nos cativam, não criamos ligação com as mesmas. O enredo, que até tem alguma criatividade, não me cativou por ai além essencialmente porque as partes onde temos elementos de fantasia não trazem mais valia e até podiam não ter existido pois não acrescentam nada demais, mas pronto alguns aspetos até foram minimamente interessantes e havia ali muito potencial.

Acima de tudo são livros que se lê com muita rapidez e que acabam por nos distrair acabando por  proporcionar uma leitura algo diferente do que estamos habituados, mas para ser sincero há ai literatura bem melhor.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Sangue e Fogo a História dos Reis Targaryen de George Martin


Sinopse:

A emocionante história dos Targaryen ganha vida neste trabalho magistral do autor de As Crónicas de Gelo e Fogo.


Séculos antes dos acontecimentos de A Guerra dos Tronos, a Casa Targaryen – a única família de senhores dos dragões a sobreviver à Perdição de Valíria – fez de Pedra do Dragão a sua residência. Sangue e Fogo inicia a sua narração com a história do lendário Aegon, o Conquistador, criador do Trono de Ferro, e prossegue com o relato das gerações de Targaryen que lutaram para manter o icónico trono, até à guerra civil que praticamente destruiu esta dinastia.

O que aconteceu realmente durante a Dança dos Dragões? Porque se tornou tão perigoso visitar Valíria depois da Perdição? Qual a origem dos três ovos de dragão de Daenerys? Estas são apenas algumas questões a que esta obra essencial dá resposta pela mão de um reconhecido meistre da Cidadela e das trinta e quatro ilustrações a preto e branco.

Sangue e Fogo apresenta pela primeira vez o relato completo da dinastia Targaryen, permitindo uma compreensão perfeita da fascinante, dinâmica e por vezes sangrenta história de Westeros.


Opinião:

Já se sabe que ler crónicas não é a mesma coisa que ler um romance, mas desenganem-se aqueles que pensem que este livro não tem qualidade, pelo contrario está tão bom como os livros das Crónicas de Gelo e Fogo.

Repleto de acontecimentos, jogos de poder, complexidade quer que enredos quer de personagens e que tem como base explicar-nos a chegada dos Targaryen a Westeros, a sua ascensão bem como os problemas para manter a coroa, tudo ingredientes para nos deixar completamente presos e com vontade de saber cada vez mais sobre o impacto causado por esta casa sobre Westeros.

São muitos os acontecimentos que nos deixam cativados e surpreendidos, por exemplo, como esta casa foi importante para a Muralha entre muitos outros acontecimentos. Gosto ainda da forma como o escritor utiliza os elementos de fantasia, em especial a relação dos Targaryen com os dragões, que acabam por ser uma mais valia para os livros.

Não quero estar a desenvolver muito mais até porque ainda há um livro seguinte e ai ficarei com uma ideia mais completa, mas sem duvida que este livro me cativou imenso, quantas vezes já não tinha pensado que o escritor poderia escrever mais livros sobre este universo e este sobre os Targaryen está muito bem conseguido, apenas tem o problema de atrasar a conclusão da serie principal, mas com esta qualidade até o desculpo.

Não tarda estou a ler o livro seguinte, muita curiosidade por saber mais sobre os Targaryen e como foram importantes para o universo que hoje conhecemos, leitura mais do que recomendada.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Memórias do Gelo de Steven Erikson


Sinopse:

Num continente devastado, surge um novo e aterrorizante império...


O continente Genabackis foi assolado pela guerra. Da destruição surge um novo e sombrio poder, o Pannion Domin, que se espalha como lava, invadindo o território e destruindo todos os que não aceitam a palavra do ardiloso Profeta.

No sagrado deserto de Raraku, a vidente Sha’ik e os seus seguidores preparam-se para a rebelião há muito profetizada.

Sonhos de liberdade e vingança alimentam a revolta. Alianças improváveis são forjadas, mas serão suficientes para travar um domínio cada vez mais terrível e sangrento?
Opinião:

Só não é a leitura do ano devido a ter gostado muito da escritora Robin Hobb sendo que os livros desta me comovem mais, o que não quer dizer que seja melhor, pelo contrário o universo criado por Erikson é dos mais ricos que já tive o prazer de ler, tornando a leitura empolgante e rica.

Se nos livros anteriores já tínhamos um universo rico em personagens bem como locais complexos e cativantes eis que o autor nos surpreende ao desenvolver a história de povos que pouco conhecíamos mas que se percebia seriam importantes para o enredo, bem como a introdução de novas personagens, de se perceber melhor os objetivos de cada facção, tornando a leitura cada vez mais rica e viciante.

Confesso que não entendo a totalidade do universo, dada a sua complexidade quer de locais, quer de povos, quer de raças, mas sem duvida que vamos ficando cativados à medida que vamos avançando na leitura dos seus livros.

São várias as personagens que nos deixam cativados e que são muito bem desenvolvidas, o grupo onde anda o jovem Toc, personagens como Whiskeyjack, Ben Ligeiro,  Anomander Rake, Caladan Brood, Ganoes Paran, são tantas aos quais não se fica indiferente, são apenas alguns exemplos. Outros aspetos que me agradam são a preparação do enredo e das batalhas que se advinham, o mistério que está por trás de cada personagens, os imensos jogos políticos, as intrigas, são imensos os ingredientes que nos prendem e ficamos com imenso desejo de saber como irá ser desenvolvidos.

Uma leitura altamente recomendada, do melhor que há a nível de fantasia e sem duvida que devemos ficar agradecidos à Editora por publicar este tipo de literatura, venham os livros seguintes.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Os Contos Mais Arrepiantes de Howard Phillips Lovecraft



Sinopse

Edição de luxo de capa dura, com 15 histórias de terror ilustradas por 22 artistas nacionais.


Antes de H. P. Lovecraft, a literatura de horror resumia-se fundamentalmente a vampiros, fantasmas e bruxas. Depois dele, o género nunca mais foi o mesmo. Genial criador de mundos, pai das mais hediondas criaturas cósmicas e de uma Arkham tão real como Lisboa ou Nova Iorque, Lovecraft foi o pioneiro de um horror onde a humanidade é apenas uma centelha de sanidade num vasto universo de maleficência. Uma centelha fugaz que perde esperança de conto para conto.

A sua visão do horror foi de tal forma influente que está presente na obra de Stephen King, Neil Gaiman, Guillermo del Toro, Alan Moore e muitos outros criadores, da literatura ao cinema, da BD à música. Até Stranger Things, a série-sensação do momento, é uma homenagem ao imaginário de Lovecraft.

Nesta edição de colecionador, ilustrada por 22 artistas nacionais, são apresentados os contos mais arrepiantes de Lovecraft, dando-nos a conhecer a evolução do seu estilo narrativo único e consolidando-o como um dos autores mais visionários da literatura americana.



Opinião:

Uma agradável surpresa e das melhores leituras de 2018, mas antes demais dizer que a capa e as ilustrações estão um mimo bem como o trabalho feito sobre a biografia do autor, a sua vida, as suas influências está a todos os níveis brutal e sem duvida uma mais valia para o livro, pois acaba por ser importante para se conhecer melhor o autor e a sua obra.

Quantos aos contos já se sabe que acabamos por gostar mais de uns do que outros, mas estão todos a um grande nível, impressionante a criatividade apresentada pelo escritor, a sua escrita fluida e com constantes mistérios, estamos sempre em suspense para saber como a história irá terminar.

Gostei bastante de os contos não apresentarem muitos diálogos, o que poderia tornar a leitura algo monótona e descritiva, mas nada disso, funcionou muito bem. Apenas possa dizer que os contos tenham sido algo repetitivos mas ainda assim não deixo de dizer que é uma grande leitura em especial para quem goste de horror.

Percebo agora a existência de tantos escritores serem influenciados por Lovecraft, um criador de personagens e locais únicos, leitura mais do que recomendada.

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

A Viagem do Assassino de Robin Hobb




Sinopse


Um pai à procura da filha. Um assassino em busca de vingança.



Há muitos anos, FitzCavalaria jurou a si mesmo afastar-se das intrigas da corte e despir a pele de assassino. Tornou-se Tomé Texugo, um respeitável senhor rural, marido e pai. Mas esta pacata existência foi abalada pelo rapto da sua filha, Abelha, cuja existência praticamente todos desconheciam.

Acreditando que a filha está morta, Fitz parte com o seu velho amigo Bobo em busca de vingança. A sua jornada leva-os a percorrer meio mundo, até chegarem a um lugar maldito que traz de volta memórias há muito esquecidas.

Entre a dor da perda e a esperança num futuro incerto, Fitz e o Bobo terão de enfrentar revelações inesperadas que serão decisivas no futuro de ambos.



Opinião:


A Coleção Bang! ao longo deste tempo todo tem-me dado a conhecer do melhor que já li em vários géneros literários e dentro da fantasia escritores como George Martin, Dan Simmons, Frank Herbert, Scott Lynch, Raymond Feyst, Steven Erikson estão entre os meus favoritos. Num patamar ligeiramente abaixo não posso deixar de referir escritores como Anne Bishop, Brandon Sanderson e Jacqueline Carey.

Mas sem duvida que Robin Hobb continua a cativar-me, a emocionar-me a surpreender-me como nenhum dos outros e este livro é mais uma prova que a escritora é acima de tudo uma grande contadora de histórias, apresentando nos seus livros tudo o que gosto; as personagens bem desenvolvidas, o enredo rico e a escrita muito fluída e cativante.

Este livro, a primeira parte do ultimo livro da trilogia na sua versão original, deixa-me já com um amargo de boca por sentir que está tudo a terminar e que depois tudo acaba, ficando com a sensação de que fica ainda tanto por explorar. Se nas trilogias anteriores ficamos com a ideia que é possivel criar um universo maravilhoso com um núcleo de personagens e locais pequeno, ao ler mais esta demanda, sinto que a escritora tem criatividade para explorar muito mais este universo, locais como Os Ermos Chovosos, Clerres e os seus Servos, Kelsingra e os seus povos antigos, o povo da Montanha, a Ilha de onde os ovos dos dragões eclodem e que tem uma história bem rica e com muito potencial, personagens como Abelha Visionário, O Bobo que é das personagens mais interessantes que tive o prazer de conhecer e que ao fim destes livros todos continua a surpreender, entre outros casos.

Mesmo estando nós a caminhar para o final e ainda estarmos longe do local onde tudo se irá decidir, o livro não deixa de ser rico em revelações sobre este universo, sobre determinadas personagens, sobre dragões, sobre as personagens principais - Fitz, Bobo e Abelha Visionário - sobre Cidades, sobre Ilhas sobre os sistemas de magia como o Talento e a Manha, apresentação de novas personagens e que nos deixam com imensa curiosidade de saber mais sobre a Trilogia Mercadores dos Navios, ficando sempre com a sensação que o melhor está para chegar.


Uma das pequenas falhas que aponto à escritora é deixar tudo muito para as ultimas páginas, ficamos sempre com a sensação que a escritora empata ali um pouco, mas isto não quer dizer que não exista muitos acontecimentos e interesse longe disso.

Não fosse Steven Erikson e diria já de caras que estamos na presença do melhor que li em 2018, mas ambos são universos fantásticos e que serão seguramente o melhor que li este ano.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Sangue & Fogo de George Martin - Divulgação





Sinopse:

Séculos antes dos acontecimentos de A Guerra dos Tronos, a Casa Targaryen – a única família de senhores dos dragões a sobreviver à Perdição de Valíria – fez de Pedra do Dragão a sua residência. Sangue & Fogo inicia a sua narração com a história do lendário Aegon, o Conquistador, criador do Trono de Ferro, e prossegue com o relato das gerações de Targaryen que lutaram para manter o icónico trono, até à guerra civil que praticamente destruiu esta dinastia. O que aconteceu realmente durante a Dança dos Dragões? Porque se tornou tão perigoso visitar Valíria depois da Perdição? Qual a origem dos três ovos de dragão de Daenerys? Estas são apenas algumas questões a que esta obra essencial dá resposta pela mão de um reconhecido meistre da Cidadela e das trinta e quatro ilustrações a preto e branco. Sangue & Fogo apresenta pela primeira vez o relato completo da dinastia Targaryen, permitindo uma compreensão perfeita da fascinante, dinâmica e por vezes sangrenta história de Westeros.