sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Memórias do Gelo de Steven Erikson


Sinopse:

Num continente devastado, surge um novo e aterrorizante império...


O continente Genabackis foi assolado pela guerra. Da destruição surge um novo e sombrio poder, o Pannion Domin, que se espalha como lava, invadindo o território e destruindo todos os que não aceitam a palavra do ardiloso Profeta.

No sagrado deserto de Raraku, a vidente Sha’ik e os seus seguidores preparam-se para a rebelião há muito profetizada.

Sonhos de liberdade e vingança alimentam a revolta. Alianças improváveis são forjadas, mas serão suficientes para travar um domínio cada vez mais terrível e sangrento?
Opinião:

Só não é a leitura do ano devido a ter gostado muito da escritora Robin Hobb sendo que os livros desta me comovem mais, o que não quer dizer que seja melhor, pelo contrário o universo criado por Erikson é dos mais ricos que já tive o prazer de ler, tornando a leitura empolgante e rica.

Se nos livros anteriores já tínhamos um universo rico em personagens bem como locais complexos e cativantes eis que o autor nos surpreende ao desenvolver a história de povos que pouco conhecíamos mas que se percebia seriam importantes para o enredo, bem como a introdução de novas personagens, de se perceber melhor os objetivos de cada facção, tornando a leitura cada vez mais rica e viciante.

Confesso que não entendo a totalidade do universo, dada a sua complexidade quer de locais, quer de povos, quer de raças, mas sem duvida que vamos ficando cativados à medida que vamos avançando na leitura dos seus livros.

São várias as personagens que nos deixam cativados e que são muito bem desenvolvidas, o grupo onde anda o jovem Toc, personagens como Whiskeyjack, Ben Ligeiro,  Anomander Rake, Caladan Brood, Ganoes Paran, são tantas aos quais não se fica indiferente, são apenas alguns exemplos. Outros aspetos que me agradam são a preparação do enredo e das batalhas que se advinham, o mistério que está por trás de cada personagens, os imensos jogos políticos, as intrigas, são imensos os ingredientes que nos prendem e ficamos com imenso desejo de saber como irá ser desenvolvidos.

Uma leitura altamente recomendada, do melhor que há a nível de fantasia e sem duvida que devemos ficar agradecidos à Editora por publicar este tipo de literatura, venham os livros seguintes.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Os Contos Mais Arrepiantes de Howard Phillips Lovecraft



Sinopse

Edição de luxo de capa dura, com 15 histórias de terror ilustradas por 22 artistas nacionais.


Antes de H. P. Lovecraft, a literatura de horror resumia-se fundamentalmente a vampiros, fantasmas e bruxas. Depois dele, o género nunca mais foi o mesmo. Genial criador de mundos, pai das mais hediondas criaturas cósmicas e de uma Arkham tão real como Lisboa ou Nova Iorque, Lovecraft foi o pioneiro de um horror onde a humanidade é apenas uma centelha de sanidade num vasto universo de maleficência. Uma centelha fugaz que perde esperança de conto para conto.

A sua visão do horror foi de tal forma influente que está presente na obra de Stephen King, Neil Gaiman, Guillermo del Toro, Alan Moore e muitos outros criadores, da literatura ao cinema, da BD à música. Até Stranger Things, a série-sensação do momento, é uma homenagem ao imaginário de Lovecraft.

Nesta edição de colecionador, ilustrada por 22 artistas nacionais, são apresentados os contos mais arrepiantes de Lovecraft, dando-nos a conhecer a evolução do seu estilo narrativo único e consolidando-o como um dos autores mais visionários da literatura americana.



Opinião:

Uma agradável surpresa e das melhores leituras de 2018, mas antes demais dizer que a capa e as ilustrações estão um mimo bem como o trabalho feito sobre a biografia do autor, a sua vida, as suas influências está a todos os níveis brutal e sem duvida uma mais valia para o livro, pois acaba por ser importante para se conhecer melhor o autor e a sua obra.

Quantos aos contos já se sabe que acabamos por gostar mais de uns do que outros, mas estão todos a um grande nível, impressionante a criatividade apresentada pelo escritor, a sua escrita fluida e com constantes mistérios, estamos sempre em suspense para saber como a história irá terminar.

Gostei bastante de os contos não apresentarem muitos diálogos, o que poderia tornar a leitura algo monótona e descritiva, mas nada disso, funcionou muito bem. Apenas possa dizer que os contos tenham sido algo repetitivos mas ainda assim não deixo de dizer que é uma grande leitura em especial para quem goste de horror.

Percebo agora a existência de tantos escritores serem influenciados por Lovecraft, um criador de personagens e locais únicos, leitura mais do que recomendada.

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

A Viagem do Assassino de Robin Hobb




Sinopse


Um pai à procura da filha. Um assassino em busca de vingança.



Há muitos anos, FitzCavalaria jurou a si mesmo afastar-se das intrigas da corte e despir a pele de assassino. Tornou-se Tomé Texugo, um respeitável senhor rural, marido e pai. Mas esta pacata existência foi abalada pelo rapto da sua filha, Abelha, cuja existência praticamente todos desconheciam.

Acreditando que a filha está morta, Fitz parte com o seu velho amigo Bobo em busca de vingança. A sua jornada leva-os a percorrer meio mundo, até chegarem a um lugar maldito que traz de volta memórias há muito esquecidas.

Entre a dor da perda e a esperança num futuro incerto, Fitz e o Bobo terão de enfrentar revelações inesperadas que serão decisivas no futuro de ambos.



Opinião:


A Coleção Bang! ao longo deste tempo todo tem-me dado a conhecer do melhor que já li em vários géneros literários e dentro da fantasia escritores como George Martin, Dan Simmons, Frank Herbert, Scott Lynch, Raymond Feyst, Steven Erikson estão entre os meus favoritos. Num patamar ligeiramente abaixo não posso deixar de referir escritores como Anne Bishop, Brandon Sanderson e Jacqueline Carey.

Mas sem duvida que Robin Hobb continua a cativar-me, a emocionar-me a surpreender-me como nenhum dos outros e este livro é mais uma prova que a escritora é acima de tudo uma grande contadora de histórias, apresentando nos seus livros tudo o que gosto; as personagens bem desenvolvidas, o enredo rico e a escrita muito fluída e cativante.

Este livro, a primeira parte do ultimo livro da trilogia na sua versão original, deixa-me já com um amargo de boca por sentir que está tudo a terminar e que depois tudo acaba, ficando com a sensação de que fica ainda tanto por explorar. Se nas trilogias anteriores ficamos com a ideia que é possivel criar um universo maravilhoso com um núcleo de personagens e locais pequeno, ao ler mais esta demanda, sinto que a escritora tem criatividade para explorar muito mais este universo, locais como Os Ermos Chovosos, Clerres e os seus Servos, Kelsingra e os seus povos antigos, o povo da Montanha, a Ilha de onde os ovos dos dragões eclodem e que tem uma história bem rica e com muito potencial, personagens como Abelha Visionário, O Bobo que é das personagens mais interessantes que tive o prazer de conhecer e que ao fim destes livros todos continua a surpreender, entre outros casos.

Mesmo estando nós a caminhar para o final e ainda estarmos longe do local onde tudo se irá decidir, o livro não deixa de ser rico em revelações sobre este universo, sobre determinadas personagens, sobre dragões, sobre as personagens principais - Fitz, Bobo e Abelha Visionário - sobre Cidades, sobre Ilhas sobre os sistemas de magia como o Talento e a Manha, apresentação de novas personagens e que nos deixam com imensa curiosidade de saber mais sobre a Trilogia Mercadores dos Navios, ficando sempre com a sensação que o melhor está para chegar.


Uma das pequenas falhas que aponto à escritora é deixar tudo muito para as ultimas páginas, ficamos sempre com a sensação que a escritora empata ali um pouco, mas isto não quer dizer que não exista muitos acontecimentos e interesse longe disso.

Não fosse Steven Erikson e diria já de caras que estamos na presença do melhor que li em 2018, mas ambos são universos fantásticos e que serão seguramente o melhor que li este ano.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Sangue & Fogo de George Martin - Divulgação





Sinopse:

Séculos antes dos acontecimentos de A Guerra dos Tronos, a Casa Targaryen – a única família de senhores dos dragões a sobreviver à Perdição de Valíria – fez de Pedra do Dragão a sua residência. Sangue & Fogo inicia a sua narração com a história do lendário Aegon, o Conquistador, criador do Trono de Ferro, e prossegue com o relato das gerações de Targaryen que lutaram para manter o icónico trono, até à guerra civil que praticamente destruiu esta dinastia. O que aconteceu realmente durante a Dança dos Dragões? Porque se tornou tão perigoso visitar Valíria depois da Perdição? Qual a origem dos três ovos de dragão de Daenerys? Estas são apenas algumas questões a que esta obra essencial dá resposta pela mão de um reconhecido meistre da Cidadela e das trinta e quatro ilustrações a preto e branco. Sangue & Fogo apresenta pela primeira vez o relato completo da dinastia Targaryen, permitindo uma compreensão perfeita da fascinante, dinâmica e por vezes sangrenta história de Westeros.


sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Jon Skovron - Destruição e Redenção



Sinopse

Alguns procuram destruição. Eles procuram redenção.


Ainda a recuperar dos acontecimentos de Luz da Aurora, Esperança luta para compreender o que significa ser um guerreiro que jurou nunca mais pegar numa espada. A sua busca por esclarecimento permite-lhe dominar capacidades surpreendentes que lhe possibilitam descobrir pistas perturbadoras sobre a verdadeira origem do império.

Ruivo está a divertir-se no seu novo papel como espião imperial. Mas as suas lealdades serão testadas quando a Dama Hempist lhe atribui a tarefa que ele há muito desejava: recrutar Esperança e Brigga Lin para ajudar o império a livrar-se do conselho dos biomantes de uma vez por todas.

Mas o conselho já colocou em marcha os seus próprios planos. O seu controlo cada vez mais ténue sobre o império deixou os biomantes desesperados e dispostos a fazer tudo para manterem o seu poder…


Opinião:

Sem duvida o melhor livro da trilogia e o que mais me agradou, embora não posso dizer que estamos na presença de um grande escritor. Sem duvida que sabe os ingredientes para se fazer uma boa trilogia, isso reconheço, personagens interessantes e com o seu mistério, enredo bem desenvolvido e que até acabou por ser bem explorado, mas falta-lhe qualidade de escrita e isso é fundamental.


Gostei do destino que deu a várias personagens, ainda assim Dama Hempist foi a que mais me agradou, inteligente, com os seus jogos de espionagem e que acabou por tornar-se uma mais valia para o enredo. Mas sem duvida que houve outras que nos cativam e foram bem caracterizadas, faltou talvez um pouco mais de profundidade, mas não é pelas personagens que não teríamos aqui na presença de uma boa trilogia.

Ainda assim recomendo para quem goste de fantasia mais virada para um publico juvenil, não deixo de valorizar a aposta da editora em publicar novos escritores.

Resumindo uma leitura que entretém, sem deslumbrar.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Terra em Chamas de Bernard Cornwell




Sinopse:


Mais um capítulo na épica história da formação de Inglaterra e dos lendários guerreiros que o tornaram possível.


No final do século IX, o rei Alfredo é um homem com uma saúde débil e o seu herdeiro é apenas um jovem sem provas dadas. Uhtred, o Senhor da Guerra, é um homem temido e respeitado por todo o território e é sobre ele que recai a tarefa de combater os invasores vikings, liderados pelo selvagem guerreiro Harald Cabelos de Sangue.

Mas a vitória de Uhtred é ofuscada por uma tragédia que o leva a jurar jamais servir o reino saxão. Aliando-se aos vikings, ao seu amigo Ragnar e ao antigo inimigo Haesten, Uhtred concebe uma estratégia para invadir e conquistar o Wessex para si. Mas o destino tem planos muito diferentes, e um pedido inesperado leva o Senhor da Guerra a uma batalha inesquecível num campo encharcado de sangue junto ao Tamisa.

Opinião:

Mais um tremendo livro do escritor, a fazer subir a fasquia cada vez mais alta da qualidade dos seus livros:  Já li várias obras do autor mas quanto mais vou lendo a Saga Saxónica mais se vai tornando a minha saga preferida e até podia incluir aqui perfeitamente outros géneros literários. Está sem duvida de parabéns a editora por ter apostado nesta saga, sem duvida do melhor que já li a nivel de Romance Histórico.

Como já tive oportunidade de referir em livros anteriores. tudo nos seus livros são bem desenvolvidos, quer as personagens, que nos marcam e cativam em especial Uhtred e Alfredo. ao enredo que está sempre repleto de jogos políticos e intrigas e que consegue sempre surpreender-nos quer a escrita que é sem duvida um mais valia, tudo bem planeado, fundamentado e que acaba por nos cativar com a qualidade patenteada.

Neste livro o nosso personagem principal enfrenta vários dilemas e volte-faces, que o escritor nos apresenta com mestria e por fim acabamos por ficar cativados por rever personagens que já conhecíamos por novas personagens e pelo desenrolar dos acontecimentos, mas mais não digo até para não cair na tentação de revelar algum acontecimento importante.

Leitura mais do que recomendada, que venha o livro seguinte o mais rapidamente possivel, é este tipo de leitura que me faz gostar tanto da Editora.



sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Deuses Americanos - Divulgação





Sinopse:

Shadow Moon sai da prisão e descobre que a sua mulher morreu. Derrotado, falido e sem saber para onde ir, conhece o misterioso Sr. Wednesday, que o emprega como guarda-costas, empurrando Shadow para um mundo mortífero onde fantasmas do passado regressam da morte e onde uma guerra entre
deuses está iminente. O romance vencedor de prémios Hugo, Bram Stoker, Locus, World Fantasy e Nebula que deu origem ao sucesso televisivo da Starz, com autoria de Neil Gaiman, é adaptado como novela gráfica pela primeira vez!Compilando os primeiros nove números da série de banda desenhada Deuses Americanos, juntamente com arte adicional, esboços de personagens e capas de David Mack, Glenn Fabry, Becky Cloonan, Skottie Young,
Fábio Moon, Dave McKean e mais!

NEIL GAIMAN é um autor galardoado de romances, novelas gráficas, contos e filmes para todas as idades. Os seus títulos incluem Mitologia Nórdica, A estranha vida de Nobody Owens, Coraline, O que se vê da última fila,
O oceano no fim do caminho, Neverwhere: Na Terra do Nada e a série de novelas gráficas The Sandman, entre outras obras. A sua ficção recebeu os prémios Newbury, Carnegie, Hugo, Nebula, World Fantasy e Will Eisner. A adaptação cinematográfica do seu conto Como falar com raparigas em festas e a segunda temporada da
adaptação televisiva aclamada e premiada com Emmy do seu romance Deuses Americanosestreará em 2019. Nascido no Reino Unido, vive atualmente nos Estados Unidos

Formado em pintura pela Universidade de Cincinnati, P. CRAIG RUSSELL fez de tudo na banda desenhada. Depois de se distinguir ao serviço da Marvel pelo trabalho com Killaraven e Doctor Strange, tornou-se um dos pioneiros no desbravar de novos rumos para esta forma de expressão subestimada com, entre outros esforços, adaptações de óperas de Mozart (A Flauta Mágica), Strauss (Salomé) e Wagner (O Anel dos Nibelungos). Craig é autor dos cinco volumes da adaptação em banda desenhada dos Contos de Fadasde Oscar Wilde e deu vida de forma soberba a personagens tão diversos como Batman, Conan, Hellboy, The Spirit, Morte e Sandman. O seu trabalho mais recente inclui adaptações em banda desenhada de Coraline e The Graveyard Bookde Neil Gaiman.

SCOTT HAMPTON nasceu em 1959 em High Point, Carolina do Norte, e cresceu embrenhado em literatura clássica, romances de horror e banda desenhada. O seu irmão mais velho, Bo, foi responsá-vel por alimentar um enorme apetite por banda desenhada em Scott.
Foi natural que, quando Bo se tornou ilustrador de banda desenhada, o irmão mais novo lhe seguisse o exemplo (ambos estagiaram com Will Eisner em 1976!) Scott tornou-se um dos mais respeitados artistas e contadores de histórias no meio da banda desenhada. O seu trabalho em Silverheels (Pacific Comics, 1983) é considerado o primeiro título de banda desenhada pintado com continuidade. Além de ilustrar as suas histórias, Scott ilustrou livros de alguns dos melhores autores de fantasia, incluindo Neil Gaiman (Books of Magic, Robert E. Howard (Pigeons from Hell), Clive Barker (Tapping the Vein), Archie Goodwin (Batman: Night Cries) e David Brin (The Life Eaters).

Um livro que deve ser muito bom sem duvida, podem ver mais aqui