terça-feira, 4 de março de 2014

Manuel Alves – O escritor 2.0



Quem frequenta o meu blog, O Senhor Luvas, não ficará espantado ao ler que eu considero o Manuel Alves um dos novos valores da escrita em Português. Não só escreve nos meus géneros de eleição, Ficção Científica e Fantasia, mas também é versátil ao ponto de escrever livros infantis e Romances sempre com a qualidade a que estamos a habituados a ver em editoras a “serio”. Mas existe mais um outro pormenor que torna o Manuel “diferente”, ele faz parte de uma nova geração de escritores que começam cada vez mais a fazer parte da preferência dos leitores. O Manuel é o arquétipo desta nova geração, destes escritores do século vinte e um, dos escritores 2.0.

Entre os velhos escritores e estes novos escritores 2.0 as diferenças estão nos pormenores, porque o que os separa é isso mesmo, pormenores, mas que fazem toda a diferença.

O que os une é claro o gosto pela escrita. Em ambos os casos temos pessoas que querem ser reconhecidas e apreciadas e que, de um modo geral, gostariam de viver da escrita. Em ambos os casos o objectivo é escrever e publicar. No fundo ambos querem exactamente o mesmo. É no caminho escolhido que se diferenciam.

Os da “velha guarda” acreditam que é apenas através do livro impresso que esse reconhecimento virá, como se apenas depois de verem o seu nome gravado a tinta na celulose a sua imortalidade estivesse assegura. Estes “velhos do Papel” não acreditam e/ou ignoram todo um mundo que existe para lá da realidade física.

É aqui que aparecem este escritores 2.0, para eles a edição em papel não é uma prioridade, a questão de publicar em formato físico é acessória. O que lhes interessa realmente é dar-se a conhecer ao público. Estão nas redes sociais e sabem usa-las para divulgar o seu trabalho. Vivem do “passa a palavra” (que nestes tempos para o bem e para o mal pode ser tanto uma bênção como uma praga). Não estão dependentes de campanhas “milionárias” de marketing ou da falta delas para os seus livros vingarem. Dependem (quase) única e exclusivamente de os seus leitores gostarem do seu trabalho e iniciarem uma corrente de boas opiniões que leva a mais leitores. Os leitores, seja em que formato seja, acabam por se fidelizar. Neste aspecto o facto do Manuel e outros iguais serem bastante atenciosos com os seus leitores nas redes sociais, o meio por excelência de contacto, ainda os torna mais fieis.

O que escrevem não passa pelo crivo dos editores que, diga-se em abono da verdade, hoje em dia cada vez mais meros publicadores que depois de uma leitura apenas pesam o potencial de vendas e consequente lucro de um livro (na curto prazo, por tudo o que passe para lá das sete semanas sem vender já é um falhanço). As qualidades literárias, seja na escrita seja nas ideias que difundem e poderão trazer novas perspectivas (algo muito importante na Ficção Científica, por exemplo) fica relegado para segundo plano. (Os verdadeiro editores são um espécie em vias de extinção, mas isso fica para outra conversa.)

É interessante notar que alguns dos best-sellers dos nossos dias apareceram primeiro no mundo virtual, com escritores que começaram por se auto-publicar em sites como o Smashwords e afins e tiveram tanto sucesso que as editoras convencionais os foram contratar (a qualidade dos mesmo não é para aqui chamada). É também relevante que alguns deste escritores 2.0 com fama e proveito junto dos leitores já declinaram ofertas, algumas com valores bem elevados, das editoras convencioneis, preferindo publicar sem interferências e intermediários, o que não deixa de ser sintomático do actual estado do mercado editorial.

Estes novos escritores 2.0 são o sintoma de uma mercado editorial doente? Acredito que sim, pois tenho visto alguns autores de qualidade, já publicados em papel a migrarem para o digital. As razões são variadas, mas geralmente giram em torno do desapontamento, da desilusão ou simplesmente do desinteresse com o “mercado do papel”.

Pelo meio temos inevitavelmente os “híbridos”, autores que vivem em ambos as mundos.

Claro que nem sempre temos a sorte de termos escritores dotados como Manuel, mas não podiam ser só pontos positivos. No meio de algumas pérolas temos muito lixo, mas ai as coisas, mais uma vez, não diferem muito do actual mercado editorial convencional em papel.

Estamos então perante um novo tipo de escritor, nascido num novo mundo em que tudo é gratuito, mas onde não há refeições grátis. Competem com as editoras tradicionais obrigando-as a repensar o seu modelo de negócio. Algumas vezes acabam por ir engrossar as fileiras das editoras, outras vezes são o inimigo que lhes rouba clientes (aqui não à leitores, é tudo negocio).

Para já não acredito que se possa dizer que o leitor seja o vencedor. É certo que tem mais escolha, mas porque o lixo é muito os bons escritores podem não se ver no meio da porcaria, mas considero que isso a seu irá tempo irá mudar. Tal como outrora no mercado editorial convencional em papel houve algo mais que o interesse no lucro, gosto de crer que também aqui a qualidade irá prevalecer, mas também não sou assim tão ingénuo para acreditar piamente nisso.


O mundo irá ainda dar muitas voltas, mas penso não errar ao dizer que se abriu uma caixa de Pandora quando se tornou tão fácil editar um livro. O tempo o dirá.

Este texto também foi publicado no blog O Senhor Luvas

49 comentários:

  1. Viva Marco,

    isto de ler o texto às 7 horas não dá para perceber em tudo o que aqui está levantado, mas está excelente sem duvida e levanta várias questões.

    Penso ser uma justa homenagem ao Manuel Alves que já tive o prazer de ler e gostei imenso. Alias estamos a ler o seu mais recente trabalho em leitura conjunta no cantinho, história bem portuguesa e passado nos tempos da PIDE e que estou a adorar.

    Logo comento melhor, pois há aqui questões bem interessantes. ;)

    Penso que devia ser feito mais uma mensagem a apresentar os seus trabalhos e falar um pouco deles, fica a sugestão e colocar link para os seus trabalhos, já agora :D

    Abraço e parabéns por este texto muito bom ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Amigo Fiacha

      Espero então logo e sem sono leias melhor o texto e opines essa questões interessantes ;)

      Um abraço

      Eliminar
    2. lol

      Bem então vamos lá ver :D

      Pela foto que colocaste do Manel, só podia ser escritor, claramente eehehe

      O que é um escritor 2.0, a serio não estou a ver o que é :D

      E sim embora já se tenha comentado questões bem levantadas, sou tambem a favor do livro fisico mas o digital começa a ganhar força e é algo que as Editoras terão que estar atentas sem duvida ;)...penso até que quanto mais tempo passar mais competitivo se vai tornar os e-book sem a menor duvida :)

      Eliminar
    3. Fiacha, agora tenho o cabelo rapado (nunca soube muito bem o que fazer com o cabelo :D ).

      Eliminar
    4. lol

      Eu sei eu sei Manuel, ai e eu que devia estar a ler o eu livro para a leitura conjunta, mas penso ir ainda a tempo :D

      Eliminar
  2. Oi Marco,
    parabéns pelo texto que é interessante e de muita qualidade. Não conheço esse autor, mas gostaria de ler algo dele, mas acredito que não vou encontrar nada dele aqui no Brasil :(.
    E Fi, muito boa ideia a sua de colocar pessoas que escrevem bem, para postar textos de muito qualidade em seu blog, parabéns pela iniciativa, continue com essas postagens. Parabéns aos dois! :D

    Abraços e boas leituras!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois amanda,

      É verdade, penso ser uma mais valia para o blog o importante é que a malta goste :)

      Quanto ao escritor, penso que ainda está a fazer mais sucesso no Brasil do que aqui e mais que recomendado, vai por mim Amanda ;)

      É livros em e-book e são muito baratos mesmo, o seu mais recente livro custou-me 1,5€ e com direito a dedicatória ;)

      Bjs e boas leituras!

      Eliminar
    2. Olá Amanda

      O Manuel é um grande autor e graças à internet está publicado em todo o mundo, Brasil incluido ;)

      Podes aceder ao link e fazer o download dos seus textos, alguns são gratis e tens para todos os gostos.

      http://www.smashwords.com/profile/view/manuelalves

      E espero ver em breve uma resenha a um texto dele no teu blog ;)

      Eliminar
  3. Heyyy! Fiquei curiosa :D Onde se podem encontrar ebooks do autor e quais os preços? ^^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes ir por exemplo ao Smashwords à pagina dele:

      http://www.smashwords.com/profile/view/manuelalves

      Ou então passas no cantinho do Fiacha no FB e "caça-lo" por lá ;)

      Eliminar
  4. Viva Cata,

    Vale muito a pena podes ter a certeza e penso que quer o Marco quer o Manuel poderão responder-te :)

    Alias estamos a fazer leitura conjunta no cantinho e se comprares diretamente ao escritor até recebes dedicatória ;)

    Queres que fale com ele ? O mais recente livro custa 1,5€ e pelo que já li está....muito bom ;)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lol

      Mas ele tem é que te enviar para ti por mensagem no chat do FB :P

      Já se resolve e vais me agradecer, verás e claro estás a tempo de participar na leitura conjunta :D

      Eliminar
    2. Boa, não te vais arrepender e a ver agora se o Manuel te envia :D

      E o Manuel tem muitas mais obras, algumas das quais gratuitas, depois vais querer ler :D

      Eliminar
    3. Estou como o nosso amigo Fiacha, não te vais arrepender, tenho a certeza, e sempre podes ir à pagina do Manuel Alves no Smashwords e descarregar outros trabalhos dele, alguns grátis ;)

      http://www.smashwords.com/profile/view/manuelalves

      É só seguir o link!

      Eliminar
    4. Boa Marco,

      Penso que esse link devia ter integado o post, ou então tens algo na manga para publicar no futuro :D

      Eliminar
  5. Olá,

    Apesar de ter lido pouco do autor, acho justo usá-lo como exemplo para o excelente texto que o Marco nos trouxe. Traz de facto algumas questões pertinentes, ditas da maneira certa; e desde já te confesso que, apesar de pertencer ao lado dos velhos do papel, a maneira como apresentaste tudo fez-me repensar. Já me deste em que pensar hoje e, provavelmente, vais mudar a minha opinião. Quem sabe se não é graças a ti que finalmente publico alguma coisa nas interwebz ;) Mas é precisamente como te disse: a forma como disseste as coisas, algo fez click. É como ouvires a mesma frase 100 vezes e não significar nada para ti, depois ouves num outro dia, num contexto diferente, num determinado momento, e de repente tudo faz sentido. Só te posso agradecer :)

    E estava a ver que nunca mais te via por aqui Marco :P

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nádia

      Demorou, mas cá estou :D

      Eu também sou um velho do Papel, mas as novas tecnologias trouxeram quer a mim quer a outros a possibilidade de ler autores que de outro moda não leríamos, quer novos, quer velhos e isso é bom.

      Obrigado pelo elogio, se este texto serviu para te fazer finalmente sair do proverbial armário então já fico contente.

      Espero que avises quando já tiveres algo publicado

      Um abraço

      Eliminar
    2. lol

      Faço minhas as palavras da Nádia e Marco estava dificil publicares algo por estes lados ehehe

      Bem a ver se a Nádia arrisca publicar um trabalho seu, porque não ? :D

      Eliminar
  6. Olá Marco :)
    Estou inteiramente de acordo com a opinião da querida Nádia ;) E eu também prefiro os velhos hábitos da leitura em papel, é mais genuíno em todas as suas formas, mas nos tempos que correm e por todas as razões que já conhecemos do mundo editorial atual (qualidade, preço, oportunidade (...) ), é sem dúvida uma excelente forma de divulgar o trabalho de um escritor através desses sites, sem que, acarrete maiores custas, é mais célere e os leitores podem aceder mais facilmente à sua leitura.
    Quanto ao trabalho do Manuel, e por já ter tido a oportunidade de ler algumas das suas obras, estamos perante um BOM talento português, genuíno na sua forma de estar na vida, na sua simplicidade em ver o mundo e ditá-la em palavras verdadeiras, tanto para o bom como para o mau, e é um exemplo de um escritor que devia ser mais valorizado editorialmente. Arregaçou as mangas e permitiu que nós leitores acedêssemos às suas obras, de uma forma mais direta e acessível. É sem dúvida um escritor muito atento, sempre preparado a responder aos seus leitores, sempre à procura de dar asas ao bichinho da escrita.
    Parabéns pelo teu post Marco, está muito bom e interessante, são temas que devem de facto ser debatidos e lembrados.
    Boa continuação, beijinho ^_^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Carla

      Já te respondi no meu blog :P ,mas estou plenamente de acordo contigo.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Ora aqui está a prova que o Marco é uma mais valia para o blog :D

      Eliminar
  7. Olá
    Sem dúvida um excelente comentário de um escrito que tem muito para dar.

    Marco. tens sido um verdadeiro fã e defensor incansável do trabalho do Manuel, foi graças a ti que o descobrimos no Cantinho e revelou-se uma excelente surpresa, quer pelo trabalho, quer como pessoa, sempre bem disposto e divertido.

    Eu já li quase todos os livros do Manuel, faltam-me os últimos, o conto de natal da LIli e o Equador Morto e Vénus 12 (apenas porque não tive tempo e não surgiu a oportunidade9 e estou agora a ler em leitura conjunta o Terra Fria. De todos os que li, comentei lá no meu blog (se alguém tiver curiosidade pode cuscar)

    Quem nunca leu, deve ler, de gáneros diferentes há tema para todos os gostos nos seus trabalhos. Apenas uma coisa em comum: a forma de escrita muito particular do autor que é, na minha opinião, cheia de vida. Ele escreve com os sentimentos a saltarem da tinta que corre pelo papel, as emoções, os relacionamentos são uma tónica mais real, mais dura, mais fantasiosa conforme os temas abordados.

    Leiam e passem palavra, pois só assim este mundo das escritas digitais prevelece e vai sendo conhecido.
    Fizeste muitisso bem Marco, em trazer o Manuel a este espaço :)

    Um abraço colega

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Colega ;)

      Obrigado pelo elogio, mas devem agradecer ao Manuel porque se ele não fosse um grande escritor e um ser humano ainda maior não havia publicidade que lhe vale-se. E só posso subscrever o que escreves sobre ele e a sua escrita.

      Agora toca a passar a palavra.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Bem visto Caminhante grande trabalho que o Marco tem feito no seu blog a divulgar este excelente escritror, é graças a ele que tenho o prazer de ler o Manel embora esteja muito atrazado :(...mas há tempo para por em dia :D

      Sem duvida mais uma justa homenagem ;)

      Eliminar
  8. Olá!

    Bem… já ouvi falar tanto deste escritor!! Ainda não li nada dele mas apenas por falta de tempo (o meu velho problema…)… mas estou certa que um dia destes pego em algo dele! De tudo o que ouvi, só ouvi coisas boas… por isso é um escritor para a lista de livros a ler! :)

    Obrigada pela divulgação do que há em português! :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Wavegirl

      Ai que tenho de te puxar as orelhas!Para leres algo do Manuel é fácil e rápido. É só ires ao Smashwords e descarregares um dos contos dele e ler, como são pequenos não demora nada, mas atenção provoca dependência ;)

      Eliminar
    2. Wavegirl,

      Vais gostar, um talento o nosso Manel e a preços bem em conta eheheh :D

      Eliminar
    3. Olá Marco…

      Eu sei, eu sei… o nosso amigo Fiacha já ouve há demasiado tempo a minha lenga lenga do "tenho tão pouco tempo"… mas é verdade… eu sei que é rápido e fácil… é uma das coisas que já ouvi 500 vezes sobre este escritor… e sim… também já sei que causa dependência…

      Será então a minha próxima aposta! :D

      Fiacha: eu bem sei que sim! Com os comentários que vou lendo aqui e ali só posso gostar :)

      Obrigada pela divulgação! Ah… e eu senti o puxão de orelhas! xD

      Eliminar
  9. Boas,

    Não conheço este escritor uma vez que pouco ou nada leio no pc.
    Mas o que foi dito acho que é uma grande verdade.
    Se assim continuarem acho que as editoras mais espertas também irão mudar de técnicas.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Angelina Violante

      Também não gosto de ler no PC (leio é muito no smartphone), mas podes sempre descarregar um conto do Manuel e ler, é rápido e já ficas a saber se gostas, embora quanto a isso não existam grandes duvidas que vais gostas :)

      Eliminar
    2. Tenho a certeza que a Angelina vai gostar sem a menor duvida e sim as Editoras tem que começar a ser mais vizionárias em relação ao que se anda a passar ;)

      Eliminar
  10. Para quem não me conhece, olá.
    Pronto, agora já somos todos conhecidos. :)
    Marco, mencionaste aspectos bem indicadores da realidade editorial do momento. É verdade que o mundo está sempre a mudar, mas há alturas em que as mudanças são mais perceptíveis por quem experimenta determinadas realidades. Neste caso, os leitores têm uma perspectiva privilegiada e estão mais atentos à mudança actual do paradigma editorial. Esperemos que as editoras tradicionais estejam (realmente) atentas àquilo que os leitores têm a dizer e que, finalmente, comecem (realmente) a dar-lhes ouvidos. :)

    Ah, abraços para toda a gente (os homens não se façam de esquisitos... toda a gente gosta de abraços :D ).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Manuel (não sei porque mas ouvi um coro)

      Em primeiro lugar obrigado pelo excelente trabalho que tens feito.

      Em segundo obrigado pelo elogio, mas permite-me discordar num aspecto, os leitores muitas vezes não querem saber sobre o que se passa no mundo editorial, preferem a critica acéfala a procurar saber o que realmente se passa, mas isso já é outra conversa.

      Espero que continues seja no digital e/ou no papel, pois terás sempre em mim um apreciador do que escreves.

      Um abraço, mas de homem ;) :D

      Eliminar
    2. Ois Manel,

      Obrigado pela visita, aparece que és sempre bem vindo e aqui o amigo Marco tem feito um excelente trabalho mais a mais divulgar o que é nacional e....bom :)

      Abraço

      Eliminar
  11. Não podia estar mais de acordo contigo Marco. Também acho o Nanuel Alves um grande valor nos novos escritores portugueses. Apesar de ter bastantes livros dele ainda só li o Lili e agora o Terra Fria que está a decorrer na leitura conjunta. Livros completamente diferentes que eu gostei. Gostaria de ter mais tempo disponível para a literatura mas vida de mãe, esposa e dona de casa deixa-nos com pouco tempo livre. Mas una coisa boa de se ler em formato digital é que podemos aproveitar todos os minutos porque está sempre a não. Até no telemóvel da para ler. Embora eu não troque por livro de papel. Ahhh o cheirinho que dele vem! Eu sou daquelas que anda carregada com o livro para quase todo lado. E por vezes sei que não tenho tempo para lhe tocar. Enfim!
    É muito bom o teu post sobre o Manuel ele merece e tu tens jeito.
    Até já :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      Isso não vale, ler logo o livro todo de uma assentada era para ler cada fase em determinado momento, mas pronto foi o entusiasmo :D

      Ainda bem que gostaste da mensagem do Marco, é para isso que lhe pago 1.000,00 € semana :D



      Eliminar
    2. Olá Luísa

      Pois não vou discutir essa falta de tempo, acredito só pelo que vejo a minha esposa a fazer cá por casa!

      Também prefiro o papel, mas o Manuel só li mesmo no meu smartphone e sim é como dizes com a leitura digital dá para aproveitar todos os minutos e mais não digo...

      Obrigado pelo elogio

      Um abraço

      Eliminar
    3. Amigo Corvo cá espero esse cheque ;) :D

      Eliminar
    4. Como perceberam escrevi asneira. Lol
      É o que dá escrever no telemóvel.

      Eliminar
    5. lol queres que envie por correio normal ou azul Marco ? :P

      na boa Luísa isso acontece ;)

      Eliminar
  12. Olá. :)

    Tenho alguns contos do Manuel Alves, mas ainda não tive a oportunidade de os ler. Confesso que fiquei curiosa com os mesmos devido às opiniões fantásticas que acompanhei no goodreads e espero ter oportunidade de os ler entretanto. :)

    Relativamente à dificuldade de publicação em Portugal, sei que não é muito fácil, especialmente em FC, e cada vez mais as editoras optam por obras que consideram mais rentáveis, o que leva infelizmente a que obras fantásticas sejam descartadas. Estas formas de divulgação de autores portugueses, através dos sites mencionados no post, tal como os beta-readers, que têm ganho notoriedade nos últimos anos, são uma mais-valia para os escritores e quem sabe se não suscitarão um dia interesse em algumas editoras portuguesas?!

    Boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rita

      Bem com mais estes comentários deves estar em pulgas para ler agora ;)

      Espero que tenhas razão e que alguma editora repare nele (e nos outros) e lhe dê um oportunidade ;)

      Um abraço

      Eliminar
  13. Olá!

    Este é um artigo muito interessante e com clara noção da realidade. É bom haver alternativas para os escritores que não são editados pelas editoras. É bom haver esta espécie de liberdade.

    Li Terra Fria do Manuel Alves e gostei muito. É uma história de grande qualidade, com um tema muito forte e que precisa de ser explorado e não ser esquecido, pois faz parte de nós. Há algum tempo que queria ler algo com este contexto, uma vez que foi um período de Portugal que nem sempre é relatado. Gostei muito, sim senhor! De muita qualidade.

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria_queenfire

      Realmente é bom que existam estas alternativas porque muitas vezes as modas são implacáveis.

      Se gostas-te do Terra Fria então ainda te espera muitas surpresa porque o Manuel é um escritor multi-facetado.

      Um abraço

      Eliminar
  14. Belo texto Marco,

    concordo plenamente com os elogios ao Sr. Alves, autor que já venham acompanhando à muito tempo e cujos livros devoro assim que este os oferece ;)

    Quero só acrescentar que dentro do panorama nacional há ainda outro autor que deve ser associado também a esta nova vaga de escritores 2.0, refiro-me a Renato Carreira, autor que me apresentou aos ebooks e que também tem feito uma grande aposta na publicação digital (apesar de já ter passado pela publicação tradicional).
    E ainda que sejam escritores diferentes são os únicos que conheço a utilizarem a publicação digital consistentemente.

    Quanto à publicação digital tenho a certeza que se vai tornar representativa no mercado e creio que a função das editoras virá a ser de separar o trigo do joio.

    ResponderEliminar
  15. Olá, Sérgio.
    Podes chamar-me Manuel (o Sr. Alves é o meu pai. ;) ).

    ResponderEliminar
  16. Gostei do texto e da forma que descreveste a realidade actual. Votos de sucesso ao Manuel Alves.

    ResponderEliminar