quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Se Acordar Antes de Morrer - João Barreiros



Opinião:

Desengane-se quem está à espera de entretenimento fácil: o João Barreiros (JB)autor tem uma vincadíssima personalidade, não tem “papas na língua”, não tem receio de mostrar a violência, de horrorizar e de chocar. Às vezes roça o absurdo, outras toca o inimaginável, às vezes arrepiamo-nos de medo, muitas vezes surpreende-nos e ficamos chocados. Mexe connosco, abala as nossas crenças, e adoramos, ou odiamos, mas não conseguimos ficar indiferentes. O seu humor é habitualmente classificado como negro, mas é mais do que isso: é implacável, politicamente incorreto, por vezes até cruel ... ah, mas que bem que sabe, de vez em quando, ler alguma coisa assim! É este sentimento que me leva a afirmar que com os livros do Barreiros descobri o meu “lado negro da Força”: perante cenas que o bom senso e a moralidade me diziam serem horríveis, eu ficava deliciada, achava-as fantásticas, às vezes até hilariantes, mesmo que, volta e meia, ficasse de “queixo caído” com o choque.

É que tanto a aparente banalidade com que o autor expõe o horror, bem como o embelezamento com que às vezes brinda as descrições mais terríveis, fazem com que nos deliciemos perante os detalhes mais sombrios e as descrições mais gráficas. Não o nego: neste livro, os mundos do futuro são mundos violentos, onde grassam a destruição e a miséria, onde não há lugar para celebrações de heroísmo ou para lamechices. Estes mundos são assustadores, alienígenas, ou apocalíticos, mas, independentemente da sua natureza, o humor do autor não nos deixa ficar deprimidos.

Houve apenas um fator que me refreou a leitura: os conceitos tecno-futuristas muito próprios que pululam no universo Barreiros e que, ao abundar em alguns dos contos, me fizeram suspirar por um glossário, estilo dicionário Barreirês – Português! Porém, à medida que avançava, foi-se tornando mais fácil, até porque alguns conceitos começaram, ao longo do livro, a ser recorrentes. Surpreendentemente, acabei por sentir que afinal o glossário talvez não fosse assim tão boa ideia - o facto de não perceber tudo acabou por conferir aquele universo uma aura de mistério, que me fez imaginar e especular ainda mais, e isso trouxe uma certa “piada” acrescida. Afinal, o futuro é 
desconhecido.

Por tudo o que já mencionei, estaria a mentir se dissesse que recomendo este livro, ou o João Barreiros a toda a gente. Mas penso que todos os amantes de outros mundos deviam, pelo menos, experimentar, até porque, passada a estranheza inicial, acabamos por ser devidamente recompensados. Quando tudo parece terrível, lá nos perdemos nos ambientes sugestivos, somos envolvidos, e sentimos empatia pelas personagens, por muitas falhas e defeitos que eles tenham - e sejam elas humanas, animais, ou, espante-se, robôs ou seres alienígenas! E depois, está sempre connosco a possibilidade de muitos livros de FC: perante a interrogação do futuro e tendo em conta, quer a nossa evolução até agora, quer o desconhecido futuro, desfila perante nós toda uma série de possibilidades, nem todas assim tão impossíveis. Além disso, uma das características que, para mim, o João Barreiros tem de melhor é que não consigo compará-lo a nenhum outro autor que já tenha lido. Não encaixa facilmente em nenhuma das minhas “gavetas”, e isso é algo que, para mim, é fantástico!

Entretanto, dos quinze contos apresentados, há algumas “pérolas” para todos os gostos:

» Brinca comigo: como explica Barreiros na nota introdutória, este é um (...) universo onde a humanidade partiu para outras paragens”, e onde os “os brinquedos hão-de vaguear até que se estraguem de vez, num vago e terno desespero, em busca de um dono que nunca mais voltará” (JB na nota introdutória). Uma ideia destas é, desde logo, irresistível, e o conto está muito bem conseguido. Os brinquedos desconjuntados, na sua solidão e confusão, despertam de imediato a nossa empatia, mantendo-nos envolvidos até ao fim. É um dos meus grandes favoritos, logo a abrir a coletânea. 

» Efemérides: a ideia é do melhor – publicado para “celebrar os 30 anos da chegada do Homem à Lua”, e o autor constrói uma realidade alternativa com o seu “toque”, ou seja, “sobre o que teria sido a colonização do nosso satélite com a tecnologia disponível nos anos sessenta”. Tive pena de ser tão curto, mas é um excelente conto, com uma conclusão pouco convencional(para quem não conhece o JB).
» Noite de Paz: Comecei por me sentir obviamente chocada com a atitude de Grinch do senhor Barreiros perante a época natalícia (omo é que se pode ter coragem de atacar uma coisa tão linda e tão fofa como o Pai-Natal?). Mas com toda aquela ação, em breve comecei a sentir um certo prazer perverso, admito em, como diz o autor, “(...)à guisa de celebração, pôr um ponto final na rotunda figura do Pai-Natal (...)”. Ai, ai, o Natal nunca mais será o mesmo! 

» ASíndroma de Abraão:  Uma “(..) nova história alternativa sobre a chegada do Homem à Lua”. Apesar de alguma dificuldade inicial em contextualizar-me, fui-me envolvendo, e as peças começaram a encaixar, com uma série de possibilidades a cruzarem-me o pensamento. Baseada na crença, patente na nota introdutória, de que “(...) as Civilizações alienígenas do Centro da Galáxia (se é que existe de facto vida inteligente além da nossa) vivem num estado de guerra permanente (...)” e que “Nada é dado de graça neste universo (...)”, este é um conto muito marcante e difícil de se esquecer. 

» Por amor à prole: Mais uma história “filosófica”, e um bom entretenimento, com uma ideia prometedora. Se fosse um filme, o cartaz rezaria qualquer coisa como isto: “Num mundo destruído, uma mulher grávida sobrevive sozinha numa quinta hostil, rodeada de criaturas mutantes!” Um must! Mantendo o suspense até ao fim, e com um desfecho que não se esquece, fez com que eu nunca mais coma morangos da mesma maneira!

» Por detrás da Luz: Um conto revisitado para uma antologia inspirada em H. P. Lovecraft, também não tem um início fácil. No entanto, à medida que as pontas do véu foram sendo levantas e as peças do puzzle, começaram, finalmente, a encaixar, comecei a sentir-me dentro daquela Lisboa virada de pernas para o ar, até ao triunfo do horror, em jeito de celebração. À Lovecraft, mesmo. 

» Se acordar antes de morrer: Comecei por torcer o nariz à ideia: não só estou ligeiramente farta de zombies como, para ajudar à festa, JB misturava zombies com robôs!!! Mas a leitura provou que o meu medo era totalmente injustificado, achei o conto excelente!. Surpreendente e com um bom ritmo, além do bónus de ser mais um "pontapé” no traseiro fofinho do Pai Natal, é um dos meus grandes favoritos.

» Um homem e o seu gato ou O Céu dos gatos é o inferno dos pardais: Excelente! 
Adorei tudo: o contexto, o ambiente criado, as personagens felinas - o Senhor Luvas e a Miss Decibel são top! A imagem da gatinha pistoleira não me saiu da cabeça por muito tempo! Adorei a forma como o tema e o contexto podem servir de ponto de partida a tantas considerações sobre o futuro (e sobre o presente!). Leituras mais sérias à parte, o conto tem também entretenimento garantido para quem não quer pensar em significados mais profundos, o que faz dele, na minha opinião, um dos melhores da coletânea.


Antes de comprar este livro, procurei comentários online, e um dos desapontamentos mais mencionados é pelo facto de quase todos os contos já terem sido previamente publicados em coletâneas ou revistas do género. Como eu não conhecia nenhum deles, esta apresentação faz todo o sentido, e é uma mais-valia o facto de as histórias, pelos universos que se cruzam, pelas referências comuns, pelo estilo único de vocabulário que se vai repetindo, acabarem por se interligar todas.

É um livro para se ir saboreando aos poucos, que, a meu ver, só peca por uma coisa: tem poucos contos! Quero MAIS! E sem ter de os procurar, espalhados como estão por aí. Quero a “papinha” toda feita, ou seja mais um livro do JB com TODOS os outros contos já publicados e que eu não conheço!!!

Comentário feito pela minha amiga STARK Paula Pinto

69 comentários:

  1. Viva Paula Pinto

    Muito obrigado pela prenda de anos e devo dizer que adorei mesmo, acho que tens que começar a fazer parte dos comentadores do blog :)

    Mais um livro do tio Barreiros que tenho por ler, mas penso que com esta divulgação, acabará por me retirar as maldições que tem efetuado ao corvo :D

    Assim que poder comento melhor, mas está um comentário MUITO BOM :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, e diz o Corvo que não pode ser depenado, porque já não tem penas... Mas esse problema é fácil de resolver: assim está pronto para meter no forno... hi hi... :D
      Mas ainda não é desta, estive a reler o texto e afinal os maiores atropelos à língua materna já tinham sido corrigidos. Para já o Corvo está safo!

      Agora fora de brincadeiras, agradeço imenso a oportunidade.
      Sabes que é sempre um prazer comentar os livros que mais gosto, mas a falta de tempo e, sobretudo, de "frescura mental" são muito más companheiras de trabalho. ;)
      Longe vão os tempo em que em poucas horas eu fazia um bom texto sobre o que quer que fosse. Agora ando meses a "engonhar", a repetir as mesmas ideias, e muitas vezes sem encontrar o fio à meada, em textos intermináveis.

      Mas uma coisa é certa, o único remédio para isso é continuar a escrever, nem que seja só de vez em quando, senão, então, fico lerdinha de vez. :)

      Bjokas e, mais uma vez obrigada pela oportunidade

      Eliminar
    2. Ois miga,

      lol não está mal visto não senhor :D

      Nada a agradecer e tens muita razão no que dizes, quando no inicio tinha que comentar livros e logo para a SDE também tinha os meus receios, mas com o tempo vamos ganhando experiência e penso que evolui um pouco...e logo eu que escrevo tão mal :D

      Estás em casa sempre que quiseres praticar, por exemplo com o livro que acabas de ler estás à vontade :)

      E o tio João bem merece esta divulgação ;)

      jokas

      Eliminar
  2. Olá Fiacha!

    Ena! Duas reviews a livros do João Barreiros no mesmo dia! Por acaso andei a ver na Wook o preço do outro livro e envontrei este, que ainda me chamou mais a atenção.

    Fica registado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá miga,

      Não a "Invasão dos Marcianos" já foi escrita tambem pela amiga Paula, mas já há mais tempo, é uma forma de divulgar os livros de alguem sem igual por cá e que nos tem ajudado a descobrir muitas leituras fantásticas :)

      Quanto a este livro, compras bem mais barato na feira do livro, lembro.me de comprar o meu exemplar por menos de 5€.

      Engraçado que a Editora vai estar no FF, o Barreiros nunca falha no evento, mas livros dele à venda....pormenores ;)

      Bjs

      Eliminar
    2. Ahhh! Então eu é que só vi hoje (pronto, afinal não me adiantei)

      Pois, já reparei nesse detalhe. Tenho que ver se aparece por cá em alguma feira do livro. Calculo que te refiras à feira do livro de Lisboa, mas essa para mim é quase impossivel de ir... Mas vou estar atenta. Até pode ser que apareça alguma coisa nos grupos de livros em segunda mão.

      Eliminar
    3. Mas não aderiste a uma campanha de oferecer livros ? Quem sabe não sejas também contemplada com este livro assim ele apareça no FF, caso contrario prometo compor na feira do livro de Lisboa, mas depois tens que o divulgar no teu blog :D

      Eliminar
    4. Sim, aderi. Mas a ideia é lembrar às pessoas que podem oferecer livros no natal, em vez de outras coisas :)

      Ta bem :) Eu divulgo, claro!

      Eliminar
    5. Vamos ver se o livro vai estar disponível e a bom preço :D

      Eliminar
  3. Não sei porquê, mas a Presença e a Leya esquecem-se sempre de ter o meu livro à venda no FF. Devem ter sido visitadas pelo Alemão, hihi...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Barreiros,

      Espero que tenhas ficado contente com esta mensagem :D

      Não percebo mesmo, já tenho ambos os livros, felizmente mas considero algo inadmissivel isso acontecer num evento onde estás SEMPRE presente

      Como diria alguém " tristes tristezas" :D

      Abraço

      Eliminar
  4. Olá Fiacha

    Sem dúvida mais um livro a comprar, gostei da opinião e da sinopse

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      Não tenho a menor duvida que o vais comprar mas se fores paciente acabas por o comprar bem mais barato na feira do livro, comprei o meu este ano por menos de 5€, mas pronto a ver se consegues :D

      E não tem a sinopse (lê o comentário que vale bem a pena eheheh) caso contrario ficava muito extenso ;)

      Bjs

      Eliminar
  5. O João Barreiros , além do Fiacha, é o que dá melhores sugestões literárias, vê-se que percebe do que fala. Portanto vou comprar este título. Comento assim que o tiver lido

    Obrigada pela sugestão e venham mais deste autor

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai compreendo que te possa ajudar com algumas sugestões de compras, mas não me compares nem de perto nem de longe com o Tio, ui alias basta ver o que tenho levado na cabeça para ler livros com qualidade :D

      Mas estou contigo, divulgar os seus livros é o mínimo que posso fazer a quem tanto nos tem ajudado com recomendação de boas leituras e sei que estou em falta pois ainda não os li e tenho ambos, mas vou faze-lo e voltar a divulgado ;)

      É sem duvida uma das minhas maiores referências de leituras e mesmo não podendo comprar tudo o que sugere, registo sempre as suas recomendações e ainda tenho vários por ler, Império do Mal, Prestigio, Fausto, Pavana e por ai fora :D

      Bjs

      Eliminar
  6. Pronto já encomendei, assim que chegar começo a ler 😊

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahaha bolas isso é que foi não perder tempo, mas fizeste bem espero que gostes a claro acima de tudo o divulgues no teu blog :)

      E que tal esse livro do Nuno "Espada Que Sangra" já terminaste ? :D

      Eliminar
  7. Para já, obriago Paula Pinto e obrigado Fiacha pelo cuidado e atenção com que foi criticado o meu livrinho. Recordo-me, há muitos e muitos anos atrás, numa sessão de autógrafos na Feira do Livro, estava lá eu para assinar o CAÇADOR DE BRINQUEDOS e o TERRARIUM (não assinei nenhum) sentado ao lado de outra menina que também contribuía para a Caminho com romances policiais. A páginas tantas, perguntou-me ela de que tratavam os meus conros. E este vosso Tio (maldoso como é) resolveu resumir o tema de KULTURKOMANDOS. Falava da Lua ocupada por alienígenas machos (cada um deles maior do que uma montanha) que constantemente ejaculavam esparmanoozoides, ou seja, espermatozoides dotados de cérebros que se deslocavam com patinhas semelhantes às de uma aranha. Estes simpáticos bichinhos coligiam informações para as integrarem no respectivo ADN. Ou seja, livros e filmes de cordel. Tipo telenovelas e romances de gaijas, com gaijas para gaijas. Eram viciados na literatura da treta. Porém, quando lhes liam um trecho, sei lá, do Saramago ou da Agostina Bessa Luis, morriam imediatamente e dissolviam-se numa pasta repugnante. Em boa verdade não conseguiam suportar a literatura dita séria, do mainstream. Os Kulturkomandos do título, para matarem esta infestação de espermanoozoides, bastava ler-lhes ou transmitir a informação de um texto do Kundera.
    À medida que eu ia contando esta edificante história era ver o olhar de abjecto terror com que a minha parceira de mesa me congratulava. Devia pensar que estava sentada ao lado de um louco furioso.
    Enfim, embora eu não tivesse assinado nada (e ela muitos) diverti-me à brava com as aventuras das minhas dilectas "Aranhetas".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tio Barreiros créditos totais para a nossa amiga paula Pinto, ela sim foi muito rigorosa, eu apenas li o texto antes de publicar e vi que estava bom, publiquei e fui ameaçado que ficaria sem penas se tivesse algum erro eheheh, mas disse que a mensagem se podia editar se algum pormenor não estivesse bem, ainda assim o texto foi bastante reduzido ;)

      Quanto muito por puxar por ela para comentar aqui no blog, acho que tem muito mais jeito que eu para comentar livros :D

      Como sabes divulgar o teu trabalho é para mim um prazer e o minimo por quem tem me recomendado e dado a conhecer tão boas leituras, só tenho pena de ainda não ter lido nem este nem a "Invasão dos Marcianos" mas a seu tempo.

      Eliminar
    2. Obrigada, eu, João Barreiros, pelo livro que tão bons momentos proporcionou - para quem duvide que um livro com temas tão esquisitos e macabros posso proporcionar bons momentos, sim, é verdade, proporciona! Vão de mente aberta, e não se deixem assustar pelo "louco furioso", e valerá a pena a experiência!

      Fiacha, quanto ao ter mais jeito... até pode ser verdade, mas temos um problema: a média de dois comentários por ano é muito, muito sostra...lol. Escusado será dizer que daqui a uns meses escrevo outro (ainda te estou a dever o da Saga de Kushiel, da Carey, por exemplo, esse há anos....lol)

      Eliminar
    3. ol escreves quando quiseres, mas até te fazia bem praticar, vai por mim mas é importante que leias bons livros para te entusiasmar e motivar ehehehe

      Espero que um dia voltem a publicar a Jacqueline Carey

      jokas

      Eliminar
  8. Os textos da literatura dita "séria", chamei-lhes eu "Tanatotextos". Acredito, e sempre acreditei, que as luminárias da nossa cultura que assim escrevem tamanhas chatices, incluem um subtexto de depressão gnóstica capaz de levar ao suicídio pelo tédio. Pois não é assim que se sentem as criancinhas quando nas Escolas têm de ler obrigatoriamente a Agostina ou o Saramago?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai o que eu lamento não andar a fazer uma seleção das tuas "histórias" que tens partilhado aqui no blog, dava uma mensagem e peras, mas é uma questão de fazer uma seleção :D

      E espero conseguir estar um pouco contigo agora no FF para que me assines um dos meus exemplares :D

      Eliminar
  9. Já estou no fim Da leitura 'Espada que Sangra', mais outro título a não perder, de um autor português.

    Temos por cá bons escritores, já deu para ver ,mas o que vem de fora , na opinião dos 'entendidos' é sempre melhor não é??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem verdade e fico contente que estejas a gostar do livro do Nuno, custa ou não custa ver que um escritor com o seu talento tem que pagar para publicar os seus livros ?

      Ui o Barreiros e o Nuno são um pequeno exemplo disso ;)

      Eliminar
    2. Fico contente que estejas a gostar do livro, Bry ; em relação ao que dizes, Fiacha, é o mundo em que vivemos, but não é com lamentações e dramas que andamos para a frente, mas sim com empreendedorismo e criatividade. Por isso, mãos à obra. :-)

      Eliminar
    3. Nem mais amigo Nuno, não me canso de referir, terás aqui no corvo alquem que te ajudará sempre no que poder (por acaso estou em falta em ir ao teu blog mas isso resolve)

      Eliminar
    4. Já tenho o segundo artigo sobre as Origens de Zallar a meio, depois quando eu o publicar podes sempre ir lá comentar :-P não estás nada em falta. :-)

      Eliminar
    5. Estou lá marcado e amanha a ver se falamos aqui com o mestre Barreiros, nem sei se vai fazer parte de algum painel.

      Vou levar um outro livo dele mais leve que este, que a amiga Paula já aqui comentou "Invasão dos Marcianos" isto muito por culpa de levar dois exemplares de um jovem talentoso escritor, espero que apareças lol

      Eliminar
  10. Olá Paula
    Antes de mais tenho que te felicitar pelo excelente post. Adorei mesmo. Acho que o tio João deve estar muito satisfeito por alguém ter compreendido e gostado deste livro em particular. Tem uma escrita muito própria que nem todos compreendem e gostam. Acho que não é areia para qualquer camioneta. E tu conseguiste passar a mensagem do livro.
    Eu sou uma daquelas que tentei ler este livro mas não consegui. Não consegui entrar com a escrita. E tenho que admitir que nem sempre entendi o que estava a ler. Ainda assim estou muito contente por ter um livro do tio João na minha estante. Por várias razões. Tenho imenso respeito por ele. E admito muito a sua pessoa. Pelo conhecimento, e pela persistência de nos informar e aconselhar autores que nem nos passam pela cabeça.
    Ainda não desisti, pois conto em breve dedicar-me novamente a este livro. Pois tu com todo o teu resumo e opinião ainda me incentivaste mais.
    Obrigada
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Luisa,

      Faço minhas as tuas palavras e também quero ler o livro, mas não já ;)

      O Tio merece ser apoiado :)

      Bjs e créditos para a nossa amiga Stark :D

      Eliminar
    2. Obrigada, Luísa, pelo simpático comentário.
      .
      É verdade, o João Barreiros não é para qualquer pessoa- há, à partida, demasiadas cenas potencialmente chocantes. E é verdade, eu também nem sempre entendi o que estava a ler. No fim, essas características acabaram por ser pouco relevantes, porque me dei bem com a escrita, e achei os temas interessantíssimos.

      Uma coisa é, para mim, mais do que certa: ninguém é obrigado a gostar de tudo, e ninguém tem que ter vergonha em admitir que não consegue ler um autor só porque alguém lhe diz que é um génio obrigatório.
      Pessoalmente, eu tenho nas minhas prateleiras muitos génios obrigatórios meio lidos, ou lidos até ao fim, com os rótulo de "seca" ou "desilusão" espetados. :)

      Aliás, tenho a certeza que o João Barreiros ficaria certamente petrificado de terror ao saber os nomes de alguns autores e/ ou livros que, como ele, partilham o "saco" de meus favoritos. ;)
      Mas, em minha defesa e tendo em conta a consideração e respeito, guardei os livros dele junto com os dos Dan Simmons, Philip K. Dick, Joe Haldeman ou Ray Bradbury... :)

      No teu caso, para regressares ao livro, se calhar devias começar por "O Teste". Acho que é, digamos assim, o conto mais "terra-aterra" e mais próximo da nossa realidade.

      Bjinhos

      Eliminar
  11. Bem o Sr. João deve ter ficado todo contente com esta opinião, e olha que a mim cativou-me a investigar mais o assunto :), e sim é triste que os escritores portugueses não sejam mais divulgados, tenho pena :(

    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Luís,

      Então mas já convives com o tio à tanto tempo ele até já te colocou à vontade e ainda o tratas por Sr. ? Eu percebo é por respeito ehehe

      Sem duvida que a Paula esteve muito bem, tenho que a convencer a escrever mais vezes :D

      Eliminar
    2. Olá, Luís.

      Sim, investigar mais, conhecer mais, divulgar mais!
      É mesmo essa a ideia, com este post. Nem toda a gente tem perfil para gostar de João Barreiros, não me ponho a dizer a toda a gente "comprem, comprem, comprem".
      Mas sou contra que se descarte um autor só porque é diferente, porque é do género A ou tem o estilo B, e não nos entra pelos olhos dentro com o marketing de todos os dias, ou, pior ainda, porque é Português.

      Ou seja, acho que as pessoas devem experimentar por si próprias antes de descartarem o que quer que seja, e acho que a nível cultural isso é ainda mais verdadeiro. Há muito de nós, a nível pessoal, a caracterizar o que gostamos e o que não gostamos no campo não só da literatura, mas também da música ou cinema, por exemplo. E nem sempre podemos prever a nossa reação. Muita vezes somos surpreendidos pela positiva. Comigo aconteceu isso. Com o João Barreiros, mas não só. Quanto mais autores e universos conheço, mais gosto e mais quero conhecer ;)

      Cumprimentos

      PS - Fiachinha, Fiachinha, não te ponhas com "convencimentos" que depois destes meses a engonhar, tão cedo não escrevo mais nada.... Vai mas é ler os livros do tio (vai preparado para perder mais algumas penas), que depois a gente "cumbersa".... :D



      Cumprimentos

      Eliminar
    3. Paulinha Corujinha, tens muito jeito para a coisinha ahahaha

      A serio fazes excelentes comentarios e tenho que ler sim, penso que a começar começo pela "Invasão dos Marcianos" ;)

      Eliminar
    4. Dá graxa, dá, a ver se a inspiração me aparece... lol

      Eliminar
    5. Tem que ser, mas acho que não precisas disso, basta ver que a malta gostou do teu comentário, que te inspire para os seguintes :D

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Penso que para o próximo ano a amiga Paula vai tentar aparecer, pois ela é Stark e vive para os lados da Muralha :D

      Eliminar
    2. Mais uma vez... ainda não foi desta.
      A ver se no próximo ano começo a planear a jornada com antecedência, que é para depois não me queixar de falta de euros ou de estar a trabalhar. ;)

      Eliminar
  13. Posso dizer que fiquei entusiasmado com esta review. Uma análise muito bem trabalhada, severamente vincada nos pontos que mais lhe agradaram e nos que menos gostou, olhando para a obra como um todo e conto a conto. Parabéns à Paula pelo comentário, e claro ao Sr. João Barreiros pelo livro. :-) É mais um para a wishlist.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha por acaso ela está neste momento a ler o teu livro, não achavas bem ela vir aqui comentar ? Duvido é que ela venha ehehe, mas não deixa de ser curioso :)

      abraço Nuno e até amanhã :D

      Eliminar
    2. Claro que achava bem xD Fico à espera

      Eliminar
    3. Ui isso seria uma enorme surpresa, mas ela só tem a ganhar, o importante é ganhar.lhe o gosto :D

      Eliminar
    4. Eu digo-vos, digo, ai se digo.... ;) Tomara eu ter tempo para ler, quanto mais para os comentários.
      Mas pronto, quando acabar o livro do Nuno, vou lá ao respetivo post aqui do blog mandar uns bitaites, prometo. ;)

      Cumprimentos, e obrigada. :)

      Eliminar
    5. E o corvo agradece, mas uma mensagem era bem vinda, quanto mais divulgar-mos melhor eheheh

      Vá vai tomando apontamentos pequena coruja :D

      Eliminar
  14. Olá Paula,

    gostei muito do teu texto! Fiquei bastante curiosa em relação ao livro. Do autor, o Sr. João Barreiros, ainda só li o conto para a leitura conjunta do Cantinho, O Turno da Noite, e fiquei muito contente com o que li. Por isso, penso que também iria gostar de ler este.

    É, de facto, uma pena os bons autores não serem muito divulgados...

    Bjs e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Miss,

      Ainda temos que fazer nova leitura conjunta mas com um livro como este :D

      Penso que o Tio Barreiros é já de facto um nome consagrado, não há melhor que ele quer em conhecimentos de FC quer a escrever FC, mas merecia ser mais reconhecido isso é um facto.

      Como já mencionei em cima participa todos os anos no FF (vou lá hoje) tem lá a sua editora 1001 mundos e o livro dele nem ve-lo, enfim :)

      Bjs

      Eliminar
    2. Obrigada, Miss Lamora!

      O conto da leitura conjunta... bem achei-o um bocado mais "leve" do que a maioria dos contos desta coletânea. Mas é do mesmo género, sim, está lá o estilinho todo....lol.
      È, na minha opinião, um bom começo para se conhecer o autor. ;)

      E um livro de contos como o "Se Acordar Antes de Morrer" tem sempre uma vantagem: não é preciso ler-se tudo seguido. Pode-se parar as vezes que for preciso para recuperar psicologicamente... he he.... :D

      Eliminar
  15. Olá!!

    Excelente comentário!
    Já andava com vontade de comprar este livro e tu ainda me deixaste com mais vontade.
    Realmente é lamentável autores de qualidade serem esquecidos e pouco divulgados. Não li nada do Sr.João Barreiros e só o conheço deste mundo Fiacha. Pelos comentários que vejo por aqui, o autor é um sarcástico e embora por vezes seja um pouco constrangedor é ao mesmo tempo genial e isso leva-me a crer que a sua obra também seja.

    Já juntei o livro á minha lista de Natal.

    Quem sabe o Pai Natal me ofereça!!! :P

    Beijo e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sarcástico, genial e ao mesmo tempo constrangedor. É isso mesmo, Cátia!
      Daí eu dizer que não é para qualquer pessoa, mas que todos devem experimentar, e estar preparados para serem intelectualmente "mexidos". ;)

      É ótimo que te sintas com vontade de te lançar nesta aventura, mas... embora ache excelente a ideia de o cravares ao Pai Natal - eu quando posso faço o mesmo! ;p - acho que não deves ler o livro no Natal... pelo menos alguns contos... lol

      Bjinhos

      Eliminar
  16. Ois Cátia,

    Penso que a nível de conhecimentos literários já tens mais que provas dadas dos seus conhecimentos, no fundo luta para que o que se publica por cá seja de MUITO melhor qualidade e tem razão infelizmente, embora por vezes possa parecer algo sarcástico :D

    Quanto ao experimentares ler bem fazes muito bem, bem merece que se divulgue os seus livros e o seu trabalho :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Olá Corvo e claro olá Paula

    Realmente a leitura das obras de João Barreiros não será para todos, mas verdade seja dita que isso será verdade para qualquer livro e/ou autor, pois existirá sempre algum autor de que não gostamos e/ou não compreendemos e nem sequer vou dar exemplos porque todos nós temos uma lista. Mas se isto é verdade a questão passará então para o campo de honestidade intelectual e gostos à parte saber dar credito à parte objectiva de uma obra. Tenho alguns autores/obras de que não gosto, mas sei reconhecer as sua qualidades.

    Dito isto resta acrescentar que sou um fã incondicional do Grande João Barreiros, tanto que o meu blog tem o nome de uma das suas personagens: O Senhor Luvas.

    Um abraço e cara Paula espero mais opiniões tuas de preferência de algum livro que eu ainda não tenha lido ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Marco,

      Tens que vir um dia ao FF conviver com o Tio Barreiros e deixa.me dizer-te que a SDE vendeu duas antologias que comentaste aqui no blog ehehehe, acho que eu e ele deviamos ir para vendedores da SDE...e claro um exemplar da Pulp Fition que eu cá tambem gosto que o Luís Filipe Silva seja reconhecido :D

      Abraço :)

      Eliminar
    2. Olá, Marco, e obrigada! :)

      Verdadeiro comentário, esse, de colocar os gostos de lado e reconhecer a qualidade do autor. Aconteceu-me isso com o Frank Herbert e o seu "Duna", por exemplo.

      Quanto à minha opinião de um livro que ainda não tenhas lido... essa agora teve piada...
      Passo a explicar: às vezes sinto que estou, na verdade, a tirar um curso não oficial de literatura de FC e Fantasia, em que o Mestre é o Barreiros, e depois há os Assistentes, por exemplo, um certo Marco Lopes... E um Rui Ramos.... ;).

      Ou seja, ainda há-de faltar muito para aqui a aprendiz desencantar um livro em condições que vocês ainda não tenham lido... lol.


      Eliminar
    3. PS - falando em Luís Filipe Silva, nunca li nada dele. Tenho aqui "O Futuro à Janela" para estrear quando tiver o meu reader.
      Mas na altura em que saiu a coletânea da Pulp da SdE, disse-se que um dos contos seria dele, mas afinal qual deles é?
      E o editor, o Luís Corte Real, é verdade que também escreveu um dos contos? Ai a santa ignorância...lol

      Eliminar
    4. lol, olha sinceramente nem sei bem, o que sei é que a Pulp é mesmo muito boa :D

      Eliminar
  18. Olá Paula

    Excelente comentário, gostei muito da tua análise geral e dos pequenos comentários aos contos. Se já era um livro que gostaria de ler, agora é certo. Será uma próxima compra, sem dúvida.

    Eu tenho lido os contos do JB "à solta", já é tempo de pensar em ter na minha estante os seus livros. Uma escrita que não será para todos os gostos, é verdade, mas eu penso que apesar de, muitas vezes, não termos a mesma opinião do que o JB, sobre um determinado tema (caso do Natal, por exemplo), e que às vezes nos possa parecer hediondo a ideia que ele vai explorar sobre esse tema, acabamos por nos envolver na sua leitura que nos "esquecemos" das ideias subjacentes e estamos perante um conto fantástico :)

    O que me leva a seguir a questionar para com os meus botões : "será que o JB pensa mesmo assim ? ou será a sua forma de questionar diversas situações/ eventos estereotipados que pululam na nossa sociedade? "

    seja como for, quero ler esse livro :)

    Quanto ao comentares mais vezes no blog aqui do amigo, quase depenado, acho que fazes muito bem, quanto mais escreveres, melhor será, sem receios porque o fazes muito bem.

    bjs e continua

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois miga,

      Faço minhas as tuas palavras tem que continuar a comentar por estes lados e o Nuno Ferreira bem que gostava que ela comentasse o que está a ler ehehe

      Quanto ao tio Barreiros dá gosto com ele conviver :D

      Bjs

      Eliminar
    2. Obrigada pelas palavras, caminhante!
      É verdade, adoro escrever, mas acaba por ser o hobbie que, no dia-a-dia, mês após mês, é mais sacrificado. Pela falta de prática, acabo por ser repetitiva e as ideias fogem-me - faço correções infinitas e demoro imenso tempo a ficar satisfeita com o que escrevo.
      Mas graças aos "empurrõezinhos" do Fiacha, volta e meia lá me ponho a trabalhar a sério. ;)

      Bjinhos

      Eliminar
    3. Agora é continuar, ainda vais criar um blog :D

      Eliminar
  19. O que me leva a seguir a questionar para com os meus botões : "será que o JB pensa mesmo assim ? ou será a sua forma de questionar diversas situações/ eventos estereotipados que pululam na nossa sociedade? "

    Mistério sinistro e profundo, cara Caminhante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... pois ... já alguém dizia que a curiosidade matou o gato :D, (aqui seria mais a raposa) mas seja então, o mistério continua ...
      mesmo assim, vou querer ler mais :)

      Eliminar
  20. Nunca li nada do género, um dia destes quando não tiver vontade para ler nada do que tenha arrisco neste ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ois,

      Por acaso este ano quero ler os que aqui tenho por ler do Barreiros, um dos maiores nomes da FC em Portugal de não o maior, espero em 2015 comentar aqui livros dele ;)

      bjs

      Eliminar
    2. E nós cá ficaremos à espera ansiosamente pelas tuas opiniões :)

      Eliminar
    3. lol a questão é que ambos os livros foram aqui comentados em 2014, mas farei a minha parte :D

      Eliminar