quarta-feira, 28 de maio de 2014

Fala-nos de um dos teus escritores favoritos


Biografia:

Dan Simmons nasceu em 1948 em Peoria, Illinois. É conhecido fundamentalmente pelo seu romance Hyperion, que lhe valeu um prestigiado prémio Hugo. Os outros livros da conceituada série são The Fall of Hyperion, Endymion e The Rise of Endymion. Mas Simmons não escreve apenas FC. O seu talento versátil permite-lhe explorar outros géneros, como a fantasia, o horror, o thriller e até o policial. Um exemplo típico da sua capacidade de misturar géneros é o clássico A Canção de Kali. Licenciado em Educação pela Universidade de Washington, em St. Louis, Simmons foi professor até 1989. Desde cedo começou a escrever contos, mas a sua carreira só descolou em 1982. Hoje é considerado um nome incontornável da ficção especulativa. Visite a página do autor em www.dansimmons.com Prémios:World Fantasy Best Novel winner (1986) : Song of KaliWorld Fantasy Best Short story nominee (1989) : MetastasisHugo Best Novel winner (1990) : HyperionWorld Fantasy Best Novel nominee (1990) : Carrion ComfortBram Stoker Best Novel winner (1990) : Carrion ComfortBritish Fantasy Society Best Novel winner (1990) : Carrion ComfortBram Stoker Best Novellette nominee (1991) : Entropy´s Bed at MidnightWorld Fantasy Best Collection nominee (1991) : Prayers to Broken StonesBram Stoker Best Collection nominee (1991) : Prayers to Broken StonesHugo Best Novel nominee (1991) : The Fall of HyperionNebula Best Novel nominee (1991) : The Fall of HyperionBram Stoker Best Collection winner (1992) : Prayers to Broken StonesBram Stoker Best Novel nominee (1992) : Summer of NightArthur C. Clarke Award Best Novel nominee (1992) : HyperionWorld Fantasy Best Short story winner (1993) : This Year´s Class PictureBram Stoker Best Short story winner (1993) : This Year´s Class PictureBram Stoker Best Novel nominee (1993) : Children of the NightBram Stoker Best Novella nominee (1994) : FlashbackWorld Fantasy Best Short story nominee (1994) : Death in BangkokBram Stoker Best Novellette winner (1994) : Death in BangkokBram Stoker Best Collection nominee (1994) : LoveDeathBritish Fantasy Society Best Novel nominee (1996) : EndymionBritish Fantasy Society Best Novel nominee (1997) : The Rise of EndymionHugo Best Novel nominee (1998) : The Rise of EndymionHugo Best Novel nominee (2004) : Ilium


Bem o exercício é simples de fazer e apenas é válida uma escolha, não quero que se cansem muito, depois partilhem a vossa escolha e já agora porquê ;)

Dan Simmons foi um escritor que descobri ao acaso no ano passado e admiro a sua versatilidade, o estudo que faz prévio para dar consistência quer ao enredo quer às suas personagens, a forma como as descreve, a sua escrita fluída e por vezes descritiva mas sempre feita de forma inteligente e consistente, tornou este escritor como o meu preferido e acreditem não foi uma escolha fácil :)

Podem consultar os seus livros publicados por cá, aqui

68 comentários:

  1. Olá Corvo

    Um Grande Autor sem duvidas e que merece toda a publicidade que se possa fazer. Espero que mais leitores o leia para que a SdE publique mais livros dele.

    Ao leitor só digo que se ainda não leu está à espera de quê? Sim ele é assim tão bom e com histórias para todos os gostos!

    Um abraço

    PS: "Dan Simmons foi um escritor que descobri ao acaso" pois, pois... :P

    O que farias sem mim :D ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Marco,

      Por acaso o primeiro que li foi a Canção de Kali e muito por culpa das recomendações tuas e do Barreiros, verdade seja dita, mas és uma das minhas referência sem duvida nas escolhas das minhas leituras :D

      Ainda bem que compreendes a minha escolha, não foi fácil ;)

      Então e a tua escolha ? é para responderem as vossas opções :D

      Abraço

      Eliminar
    2. Não tenho :P

      É como pedires a um pai ou mãe para escolher o seu filho favorito

      Eliminar
    3. Não acredito que não tenhas, pronto escolhe dois é que tenho mesmo curiosidade em saber a (s) tua (s) escolha (s) :D

      Eliminar
  2. RAYMOND E. FEIST - Depois de ter lido muitos criticas em blogs decidi ler os seus livros. E fiquei maravilhado pelos mundos que criou, pela quantidade de culturas que utiliza, pela sua escrita, as personagens muito marcantes os seus diálogos. Fiquei admira-lo.

    Abraço

    [by Finisterra]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Finisterra,

      Boa escolha compreendo e até já tinha a ideia que seria essa a tua escolha, mas mais cedo ou mais tarde vais descobrir outros universos fantásticos tenho a certeza, isto no fundo vai mudando quanto mais lemos ;)

      Abraço

      Eliminar
  3. De todos os livros que o Simmons escreveu, recomendo o imenso, apocalíptico, ultraviolento romance sobre o vampirismo emocional, CARRION CONFORT. E será precisamente, porque este é um dos livros mais ricos e complexos do Simmons que ele nunca será publicado em Portugal. E claro, claro, continuo e sempre, a recomendar as space operas dele. Também elas, pelo facto de terem naves espaciais e alienígenas vão ficar nas gavetas dos editores lusos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Barreiros,

      Ainda tenho esperança que publiquem mais livros deste extraordinário escritor e em especial a sua FC como tanto tens recomendado, nada como manter a esperança :)

      Bem que gostava de saber a tua escolha para escritor favorito, isto é o teu ;)

      Abraço

      Eliminar
  4. Olá, Fiacha! Ótimo artigo. Bem, eu já fiz um post em 2011 sobre o meu escritor preferido. Não posso deixar de falar de um autor que em pouco tempo se tornou um dos meus preferidos: Brandon Sanderson, conhecido por nós brasileiros como máquina de escrever coisa boa.

    O que me atraiu no autor foi a criatividade, a originalidade, o estilo de escrita e a versatilidade. A rapidez com que escreve as obras e a qualidade de seus trabalhos. As suas obras adultas se centram em um universo único, conhecido como Cosmere e os livros trazem diferentes sistemas de magias, além de críticas sociais fortíssimas.

    Mas foi assistindo às suas entrevistas que minha empatia com o autor aumentou. Brandon é extramente simpático, com fãs e entrevistadores, e de uma forma natural. É um escritor consciente do seu papel no universo da literatura fantástica e sabe que deve muito do seu trabalho aos autores mais clássicos do gênero.

    Brandon leciona Escrita Criativa na Universidade Brigham, no estado americano de Utah, e o escritor Brian McClellan (talvez um desconhecido para muitos leitores que só leem em português) foi um de seus alunos.

    Eu espero que os leitores portugueses gostem do trabalho dele como muitos de nós brasileiros já gostamos.

    Abraços e excelentes leituras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois amiga Cassy,

      Não tinha a menor duvida da tua primeira escolha a seguinte ainda pensei no Robert Jordan mas agora fiquei muito curioso em conhecer o Brandon e não sei se o que vai sair por cá pertence ao universo de Cosmere mas espero que venha a fazer o maior sucesso por cá, eu bem ajudo a divulgar :D

      Valeu venha Brandon :)

      Bjs e boas leituras ;)

      Eliminar
  5. Olá Fiacha
    Nunca li Dan Simmons e não tenho nenhum livro dele (humm tenho que ver isso). Vocês falam tão bem do escritor que realmente estou tentada a investir. Tenho a certeza que será um bom investimento. Por agora aguardo as compras que fiz e foram muitas. O meu marido qualquer dia põe me as malas à porta. Lol estou a brincar e vou ao que interessa. A minha escolha no autor favorito acho que é óbvia, nunca o escondi o quanto gosto e admiro a Juliet Marillier.
    O primeiro livro que li foi A Filha da Floresta e já foi há mais de 10 anos. Lembro-me perfeitamente que foi numa fase de mudança da minha vida. E a trilogia de sevenwaters foi um suporte para ultrapassar a mudança.

    Adoro a escrita da Juliet. A forma como ela desenvolve as histórias de uma forma tão envolvente. É daquelas escritoras que me faz esquecer o mundo exterior. Porque quando pego nos seus livros leio-os como do dia para a noite e nesse momento de leitura ninguém entra é um momento que é só meu. Poucos escritores me fazem sentir isso.

    Apesar de ser a minha autora favorita, não vou dizer que gostei de igual forma de os seus livros. Ainda assim aqueles que menos me cativaram têm imensa qualidade.

    Por fim não poderia deixar de referir a interacção e a forma como a Juliet comunica com os seus leitores. Sempre pronta a esclarecer as nossas dúvidas. Realiza passatempos e é a própria que envia o troféu. Tenho um livro autografado e 3 marcadores de livros enviados pela própria.
    E qual é o escritor que faz piqueniques com os fãs? Que se mistura com eles de forma natural como uma igual? Tenho pena de nunca ter tido a oportunidade de participar nos eventos que realizaram em Portugal.
    Portanto a minha escolha é a Juliet Marillier.
    :) :)) :) :))
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lince,

      É verdade tens boas coisas a chegar e investir em livros nunca é dinheiro mal gasto, se poderes lê o Simmons que mais posso dizer para que o leiam ? :D

      Quanto à Juliet é seguramente uma escritora marcante, mal acabei o primeiro livro não mais parei de ler os seus livros e bolas como tive que esperar que os livros das Crónicas de bridei fossem publicados, mas embora partilhe da tua opinião em relação a tudo o que dizeste, mesmo na forma como comunica e brinda os seus leitores, unica, escreve sempre no mesmo genero, falta-lhe mais versatilidade para ser completa e tem ai livros que foram bem previsiveis, como o Sangue do Coração, mas é sem duvida alguem que admiro e muito quer como escritora quer como pessoa ;)

      Jokas :D

      Eliminar
    2. Concordo contigo quando dizes que é previsível e pouco versátil.
      Mas de um modo geral o que escreve eu gosto.

      Eliminar
    3. E eu tambem miga, sabes que a Juliet tem um lugar bem especial no meu coração, não podia ser de outra forma, ela é especial ;)

      Eliminar
  6. Olá Fiacha! Estando dividido entre 2 ou 3 acho que o 'escolhido' é o Tolkien. Foi graças a ele que comecei a expandir horizontes e ler muito mais fantasia :P. Quer dizer não só fantasia mas todo o género de livros, antes de Tolkien não ligava assim muito à leitura (lia, mas era assim muito esporadicamente); agora até fazem fila de espera xD.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luis,

      Antes demais bem vindo espero ver-te mais vezes por aqui e a tua escolha está mais que perfeita, Tolkien é o mestre da lieteratura Fantástica e iniciou muita gente a ler...a par do Peter Jackson :D....apenas acho que é um pouco descritivo, falo nos Senhores dos Aneis, pois o Hobbit atá se lê bem rápido, mas está lá sim senhor ;)

      Vá tens direito a outra escolha :D

      Abraço e boas leituras

      Eliminar
    2. Sim o primeiro que li do Tolkien foi o Hobbit. Bem, e já que tenho direito a outra escolha, e agora não pensando duas vezes... Patrick Rothfuss. Um dos livros que mais me agarrou até hoje "O Nome do Vento", é difícil arranjar palavras para descrever o quão fantástico o livro é... so many feelings... mal posso esperar que saia o 3 livro, e acredito que sairá primeiro que o do Martin xD.

      Abraços e boas leituras!!!


      Eliminar
    3. Olha mais uma escolha que me agrada imenso, por acaso vou dar-te uma lista de escritores para saber se já leste, pois penso que deves gostar :)

      Scott Linch / Robin Hobb / Joe Abercrombie / Peter V. Brett

      Já leste algum destes escritores ?

      Ai o George Martin, bem que podia te sido o eleito é versátil e escreve bem quer Fantasia, Romance Historico e FC gostei de tudo ;)

      Abraço :D

      Eliminar
    4. Sim do Martin além das crónicas também já li o "Sonho Febril" e gostei. Desses escritores mencionados ainda não li nenhum, Scott Lynch porque a editora pelos vistos não vai publicar os restantes livros (talvez vá ler em inglês), Robin Hobb ainda não comecei porque ainda tem de ser um bom investimento, Joe Abercrombie talvez vá comprar agora o 1º quando for a Feira do Livro (se bem que aquelas capas.. ai jesus), e Peter V. Brett não estou mesmo informado, mas irei investigar :).

      Abraços

      Eliminar
    5. Peter V. Brett e o Abercrombie são da mesma Editora do Rofhus e já comentei ambos por aqui, vais gostar de certeza absoluta e a Hobb e o Linch idem, vale bem a pena vai por mim, quantas vezes investimos e não vale o dinheiro gasto ? Awui gostas ;)

      Mas pronto não te quero vender nada XD boas escolhas é o que tenho a dizer :)

      Abraço

      Eliminar
  7. Oi Fi,
    bacana o seu post. Bom...vou citar dois escritores, q tenho como favoritos: Ken Follet
    e Marion Zimmer Bradley, pois suas obras me marcaram muito, e posso até acrescentar mais uma autora que tem me conquistado aos poucos q é Juliet Marillier, e te agradeço corvo por vc me indicar esta autora!!! ;)

    Abraços e boas leituras!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Mariposa,

      Bem vale o Follet :D pois era só um e é sem duvida um grande escritor, em especial de romances históricos :D

      Quanto à MZB e à Juliet tambem gosto muito :)

      Boas escolhas :D

      Bjs e boas leituras

      Eliminar
  8. Bem, sem surpresas a minha escolha recai sobre a J.K.Rowling :P
    Não só demonstrou a sua capacidade de criar um mundo mágico, com personagens muito interessantes e com um argumento pensado ao pormenor ao longo de sete livros (há certos detalhes camuflados que só em livros posteriores é que se revela terem uma grande importância), como também demonstrou a sua versatibilidade quando passou para a literatura para adultos e, nela, dois géneros diferentes: a crítica social (com Uma Morte Súbita) e o policial (com a série que actualmente está a ser publicada sob o pseudónimo de Robert Galbraith).

    No entanto, o meu fascínio por esta autora vai além dos livros.
    Se por um lado a saga Harry Potter foi aquela que me fez o leitor que sou hoje (e que ainda contribuiu um bom bocado na pessoa que sou), por outro também a admiro bastante como pessoa e pelo seu percurso de vida. :)

    Uma das frases da sua autoria que acho ser uma grande verdade é a seguinte: "It is impossible to live without failing at something, unless you live so cautiously that you might as well not have lived at all - in which case, you fail by default."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá José,

      Contra argumentos não há factos, muito boa escolha e compreendo pereitamente, li por curiosidade e gostei bastante sem duvida :)

      Abraço e bom mestrado :D

      Eliminar
  9. Boas Fiacha

    Lamento mas não consigo enumerar apenas um, por isso, vou-te aborrecer um pouco enumerando alguns autores que aprecio, tais como, José Saramago, José Rodrigues dos Santos, Luís Miguel Rocha, Fernando Pessoa, internacionais posso referir nomes como, Stephen King, Dan Brown, Steve Berry, Brad Thor, Thomas Harris, o nosso amigo George :) E vou parar por aqui :)

    Boas leituras

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Stark,

      lol bem sendo assim escolho o meu preferido da tua lista e o eleito é mesmo o tio Martin, era para ser a minha escolha, pois é versátil (escreve bem em vários generos) e cruel ehehe, boa escolha :D

      Tens ai excelentes nomes sem duvida ;)

      Abraço e boas leituras

      Eliminar
    2. Caro Fiacha,

      Ora aqui está uma escolha quase impossível.
      Mas não impossível.

      No meu caso, e sendo um leitor ecléctico, confesso que me ocorrem de imediato uma série de autores que poderia seleccionar como os meus preferidos.

      Mas mais depressa me lembro de uma determinada obra marcante que do autor que a escreveu.

      Apesar de apreciar diferentes géneros literários, o universo do fantástico está na linha de partida das minhas preferências.

      Como tal poderia recorrer ao universo da FC, do Horror, Terror, ou Fantasia e nomear uma série de autores que aprecio sem reserva, sendo difícil no final, confesso, seleccionar UM.

      Poderia ser o Simmons, poderia ser Stapledon ou Pohl ou Kilworth ou M. John Harrison ou Banks, poderia ser Leiber, poderia ser King, poderia ser Straub, poderia ser Masterton ou Barker ou Ramsey Campbell, poderia ser Vance ou Moorcock ou Watson, poderia ser Farmer Sturgeon ou Zelazny, etc. Tantos e tão bons!

      Mas não: há um escritor que de há muito me vai “acompanhando por fora” das minhas incursões de leitor nos vários géneros, e quando um determinado género já me cansa ou determinada obra me enfada, acabo sempre por voltar aos livros deste autor, recuperando um novo fôlego e um novo alento para retornar a essas obras de cariz mais “lunar” ou negro.

      Esse magnífico escritor mas de cariz “solar”, chama-se P. G. Wodehouse.

      Wodehouse dizia escrever ” comédias musicais sem música (para não estragar a musica!) ”.

      Detentor de um talento único para a escrita, com um domínio da linguagem absolutamente brilhante, trabalhador incansável da escrita, criou um mundo e personagens únicos e inimitáveis.

      Com uma obra imensa de quase cem livros, é um mestre incontestado da farsa e da comédia de enganos.

      Admirado por colegas seus dos mais diversos universos literários como Kipling, Doyle, Evelyn Waugh ou Aldous Huxley, Terry Pratchett ou Douglas Adams.

      Jack Vance dizia de Wodehouse que era o melhor escritor do séc. XX.

      Douglas Adams escreveu qualquer coisa como isto: “ Por vezes perguntam-me “Não aspiras escrever um livro sério?”. A minha simples resposta é apenas esta:” Não, as minhas aspirações são muito superiores a isso. Aspiro a escrever como Wodehouse…O que Wodehouse escreve é pura música em prosa. Ele é o grande Musico da língua inglesa.”

      É-me difícil descrever o prazer intelectual de “sorriso nos lábios” que representa para mim ler Wodehouse.

      Enche-nos a alma e devolve-nos alguma confiança na espécie humana, no seu potencial criador.

      Por isso minhas amigas e meus amigos, se querem deixar entrar aquele verão soalheiro no mais negro dos Invernos da vossa alma, leiam Wodehouse.

      Se estão a deprimir, façam o favor de não tomar Xanax, mas sim Wodehouse.
      Também vicia é certo, mas que glorioso e delicioso prazer vos trará à alma.
      E que bem vos fará ao corpo!


      Nota final: não será novidade que deste autor quase nada existe publicado em Portugal, tirando meia dúzia de quatro ou cinco obras dos anos 30 e 60, do século passado!!...
      O habitual.

      Como dirá João Barreiros: Tristes tristezas!

      Aqui fica então a minha escolha, que é quase uma homenagem. Afinal não foi difícil!

      Ubik

      Eliminar
    3. Tenho, num pack fabuloso em francês, a colecção quase completa do jeeves. E a série da TV era um mimo. Que saudades...sabias, caro Ubik, que existem uma série de contos do Peter Cannon, sobre o Jeeves versus monstros lovecraftianos ( as tias do Wooster, claro). E fico fulo, fulo, fulo, quando ninguém fala da James Tiptree. Consegui publicar na Clássica o "Brilho escorre do ar". Mas os contos, esses, são sublimes. De tal modo transformaram o género que existe agora um prémio chamado "James Triptree".

      Eliminar
    4. Viva Ubik,

      Bem grande mensagem e tantos nomes que ficam como referência, embora tenha imensos que já li ou tenho por ler.

      Quanto à tua escolha infelizmente nunca li e não sei se terei oportunidade, pois pelo que percebo o que foi publicado por cá deve ser bem difícil de encontrar, que pena, tens que me dar uma ajudinha nisso ;)

      Pensei que incluirias o Matt Ruff :D

      Bem espero que até breve ;)

      Abraço

      Eliminar
    5. Lapso da minha parte Barreiros: confesso que enquanto escrevia o texto foi o primeiro nome que me ocorreu referir no âmbito da FC de qualidade, mas o diabo veste..saia curta!!...
      Fica o reparo e um "mea culpa", de não ter indicado uma autora que escreveu pouco mas quase Tudo muito bom:James Tiptree jr.

      ubik

      Eliminar
    6. Se a memória me não atraiçoa o Matt Ruff ganhou o prémio James Tiptree com o "Pôr a Casa em Ordem".

      Ubik

      Eliminar
    7. Se houver na feira vou comprar garantido Ubik, falha minha que pensei que não fosse a SDE a publicar, mas vou ler sem falta o Ruff ;)

      Eliminar
  10. Quando visitarem a Feira do Livro, caro Ubik, captura o nosso amigo Fiacha e obriga-o a comprar todos os livros fo Varley e do Vernor Vinge que sairam na EA. A ver se ele vomeça a ler FC decente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lol ele vai ser a minha referência na feira do livro, mas devo ir mais á Argonauta que anda tudo para o caro, então a EA, mas se der compro ;)

      Ai mais umas sugestões a registar :)

      Eliminar
  11. Caro Barreiros,

    não só o obrigo a essa "pena" como o castigo cruelmente levando-lhe os livros..ehehe..

    ubik

    ResponderEliminar
  12. Força, Ubik. Temos de educar o rapaz. Quer ele queira, quer não. Leva-lhe os livros, sim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Barreiros, já tenho na bolsa para entrega "O Neuromante" do Gibson e "Os Extremos" do Priest.

      Terapia de choque sem eléctrodos.....

      ubik

      Eliminar
    2. Mas que bem, espero que possas comparecer amigo Ubik :D

      Loirinhas por minha conta ;)

      Eliminar
  13. Olá!

    Não é justo Fiacha! UM escritor favorito?! Apenas UM?! LoL
    Gostas mesmo de nos fazer sofrer...

    Bem, como só posso falar de um, escolho a J.K. Rowling. Não foi ela quem me fez começar a ler, porque eu já lia algumas coisas antes de ter descoberto o Harry Potter (para aí com os meus 13/14 anos), mas foi uma das responsáveis por eu hoje em dia ser uma devoradora de livros. Tal como ela cresceu como escritora, eu acompanhei esse crescimento enquanto leitora. Rowling é muito mais que essa saga de adolescentes feiticeiros que vivem num mundo paralelo ao nosso. O último policial, publicado sob pseudónimo, traduz isso mesmo. Admiro a sua capacidade de se distanciar do sucesso que alcançou com os seus YA e poder criar um enredo completamente distinto que é um policial ou até mesmo tornar cativante o quotidiano da cidade de Pagford (Uma Morte Súbita) de modo que não conseguimos parar de ler...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Cristina,

      Seja bem aparecida :D

      Olha é quem vai à frente com mais escolhas, pois foi a escolha do José e dizes algo muito importante sobre a escritora, colocou muita gente a ganhar habitos de leitura e a interessar-se por ler fanrasia, boas escolha e passei bons momentos sem duvida ;)

      Bjs e boas leituras

      Eliminar
    2. Adenda:

      Dado ter sido tão dificil escolher só uma tens direito a mais uma escolha....vou tentar advinhar Ken Follet ? :D

      Eliminar
    3. Ahahahah foi um bocadinho difícil sim ;)
      Hum... Sim pode ser Ken Follett ;) se bem que ainda só conheço os romances históricos. Tenho de "investir" nos policiais e espero que sejam tão bons (ou melhores) que os que tenho lido ;)

      Eliminar
    4. Sempre pensei que fosse Martin ehehe, dado a sua versatilidade, é bom em tudo o que escreve, pelo menos do que tenho lido :D

      Quanto ao Follett, pelo que tenho visto gostas imenso e tens adorado todos os seus romances históricos logo bem me parecia...apenas li um de espeionagem, foi engraçado, mais a mais chamava-se _O Voo das Àguias_ e voaram alto este ano ehehe

      Mas é um escritor muito elogiado tambem pelos policiais ;)

      Quem é amigo quem é ? Duas escolhas :D

      Eliminar
    5. Pelas minhas contas vamos em três: Rowling, Follett e Martin :p

      Eu este ano ainda vou ler um policial do Follett :)

      Eliminar
  14. Confesso nunca ter lido os livros da serie "Harry Potter" da Rowling, mas tive curiosidade em ler o policial " the Cuckoo´s Calling" que escreveu sob o pseudónimo de Robert Galbraith, que achei, finda a leitura, não ter vindo acrescentar nada de particularmente relevante ao romance de mistério, e nem percebi aquelas palavras tão elogiosas por grande parte da critica.
    Diria que se "lê", mas há imensos romances que estão nesta categoria, se é que me faço entender!..

    Mas se tem o mérito de "criar" devoradoras/es de livros, já é um começo, e desde que os livros tenham as proteínas e as vitaminas necessárias aos requisitos de um bom alimento.

    Não fiquem zangados comigo os/as imensos fãs da Rowling.

    Dou até outro exemplo de lesa-majestade:
    O Tolkien é uma" vaca sagrada" ( "boi sagrado", atendendo ao sexo) da fantasia e eu tenho para mim que é o maior aborrecimento deste género literário, e conseguiu lançar a maior maldição da fantasia moderna ( arrisco ser maldição maior que a que Bella Guttman endereçou ao Glorioso!, amigo Fiacha) sobre a forma de elfos, anões e anéis, terras médias, orcs, os magos de barba grisalha e cajado, lordes negros com vozes tonitruantes,hobbits, frodos,bilbos,etc., e da qual temo a literatura não se possa livrar nos próximos doze séculos e dois terços de um quinto de século!!...

    Perdoem-me, pois, por não conseguir ver a Luz. São o raio destas lentes monofocais que uso nestes malditos óculos.

    Ubik

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahaah, terrivel que és :D

      Por acaso acho o Tolkien algo descritivo mas sem duvida que escreveu algo genial, mais a mais na altura que foi e tal como a Rowling foi responsável por muita gente criar habitos de leitura, temos que reconhecer e inspirou mesmo muita gente a escrever :D

      Mas pronto é o teu ponto de vista e por estes lados é sempre bem vindo e está corretissimo ;)

      "Perdoem-me, pois, por não conseguir ver a Luz. São o raio destas lentes monofocais que uso nestes malditos óculos."

      Já parece um excerto do conto que estou a ler do Barreiros da Pulp Fiction :D

      Eliminar
    2. Ubik não fico nada chateada, antes pelo contrário ;)
      Cada um tem direito à sua opinião e é claro que não temos todos os gostos iguais (também se assim fosse a vida não tinha piada nenhuma!)

      Em relação ao Tolkien, partilhamos a opinião. Acho os livros dele demasiado descritivos e aborreço-me com facilidade quando os tento ler (aliás, já nem tento). Mas reconheço que o senhor tem um grande mérito pela criação daquele mundo que inspirou e continua a inspirar muita gente quer a ler, quer a escrever.

      Eliminar
  15. nah,terrivel mesmo era o Ivan :-)
    So me faltava transformar-me num personagem das historias negras do Barreiros ou do Jose de Barros!..as coisas nao iam acabar nada bem...algo como Disney entre os Dumbos...
    A partir de hoje nao uso mais oculos....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :D :D :D

      Bem claramente o melhor conto da Pulp Fiction e ainda nem vou a meio, está a surpreender-me imenso a qualidade de escita do tio Barreiros, ai bem devia seguir as vossas recomendações todas *assobio*

      Eliminar
    2. E deixaste escapar...os meus três contos da Lisboa2000...áparte estes, todos os outros estão no Se Acordar antes de Morrer. Inclusive o Disney no céu, e o conto de lovecraft. Mais um original da colecção, Um Homem e o seu Gato. Quanto ao Tolkien, é a maior das secas que já li em yoda a minha vida. A verdade é que, no tempo em que o Tolkien escreveu o LOTR, já estava parcialmente escrito o Tales of the Dying Earth que, esse sim, é genial. E a trilogia do Peake. E o Book of Swords do Leiber. O Tolkien só teve fama depois do filme do Peter Jackson. E mesmo assim, desconfio que a maior parte das donzelinas que se vestem à elfo e engiam orelhas bicudas nas orelhas normais, o tenha lido. E depois disto foi o descalabro das fantasias pseu medievais. E de todo o horror que haveria de aparecer, como as séries do Filipe Faria. Foi por isso que escrevi o Fantascom sobre um Congresso falhado de putos élficos

      Eliminar
    3. Depois do que estou a ler duvido que me escape a leitura desses contos, estão com o Marco e ele empresta-me, pode não ser para já mas vou ler sim ;)

      Sim senhor Roger rico pedófilo criaste arranjaste, vamos ver como acabam as coisas, coitado do Jimmy :D

      Eliminar
  16. Respostas
    1. Claro, só podia ser em especial de noite :D

      Eliminar
  17. Olá Fiacha!

    Finalmente venho responder =)

    Pois bem, esta é uma questão, para mim, extremamente difícil porque eu não vou muito pelo escritor e sim pela história e personagens. Ou seja, sou mais "fiel" às personagens ou personagem (ou história) do que ao escritor em si. Por isso tive de pensar muito bem!

    Depois de muito pensar, cheguei à conclusão que o melhor que tinha a fazer era pensar num escritor cuja obra não tinha lido apenas sobre determinada personagem ou mundo, de modo a que a minha escolha fosse "contaminada" pela história e personagens. Se assim fosse, não teria escolhido o autor que escolhi e sim outros (Robin Hobb, Martin, J.K Rowling, Tolkien, Rothfuss, Lynch...ou outros de cujos universos gosto muito).

    Assim escolho o Carlos Ruiz Zafón. Já li a Sombra do Vento e os seus dois livros "seguintes", mas também li Marina e o Príncipe da Neblina, que têm personagens diferentes e história diferentes. Por isso, Zafón não me conquistou apenas com determinada história ou determinada personagem/ns, mas sim pela sua escrita, pela sua narrativa. Claro que há sempre alguns detalhes que estão em todos os seus livros, como o mistério e um ambiente um tanto nubloso, mas as histórias são diferentes e as personagens também.

    As suas histórias são maravilhosas, densas, complexas, bonitas, um pouco escuras; as personagens, também, complexas, bem estruturadas, com passados fortes e densos que deixam sempre o mistério a pairar no ar e uma sensação de suspense. A narrativa é fluída, coerente, misteriosa, e isso faz com que ele seja um excelente contador de histórias, que interliga todos os pontos, criando tapeçarias formidáveis que são as suas histórias. São histórias profundas e ricas e é por isso que o escolhi.

    Beijinhos e excelente pergunta! =P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria Rita,

      Devo dizer que me surpreendeste mas faz todo o sentido, apenas li A Sombra do Vento e gostei bastante, não é uma escrita que nos deslumbre e nos vicie de imediato mas tem todas as qualidades que apontas sem duvida.

      Tenho quem me empreste os vários livros do escritor, a ver se leio mais livros dele :D

      Bjs e obrigado pela participação, vejo que foi um bom dilema :D

      Eliminar
    2. Não estavas à espera deste =P eheh
      Confesso que nem eu, quando vi pela primeira vez o post, lá no Cantinho. Mas depois estive a pensar e a pensar e olha, escolhi o Zafón.

      Sim, lê mais livros dele. O Jogo do Anjo e Marina, depois da Sombra do Vento, foram os que mais gostei. Cheios de mistério e de revelações estranhas. Marina é uma história bastante bonita, apesar de um tanto cruel.

      Gostava imenso de ver filmes baseados nas obras.

      Excelente dilema! Bjs

      Eliminar
  18. Olá Fiacha.

    Esta é uma escolha aparentemente mais fácil para mim pois não li tanto como vocês.
    Há um nome que me ocorre logo, Eça de Queirós. Gostei bastante de ler os Maias no liceu apesar de na altura não ter bem noção do que o livro representava verdadeiramente. A escrita irónica do autor cativou-me logo e apesar de ser uma leitura obrigatórias não custou nada. O segredo é não desanimar logo nas primeiras páginas, a fachada da casa costuma causar traumas :)

    Este ano reli Os Maias e logo de seguida li O Crime do Padre Amaro, que também adorei. Um livro que me fez sentir raiva, muita raiva daquele Amaro e companhia.

    Foi depois deste livro que comecei a considerar Eça o meu escritor favorito. A sua escrita realista, irónica, as personagens fortes, o sarcasmo subtil, agradam-me e estes dois livros que mencionei marcaram-me.

    Curiosamente li O Primo Basilio e detestei... que livro chato!!! Acabei de ler por respeito ao autor e fiquei tão desiludida.

    Disposta a provar a mim mesma que aquele era apenas um livro que não gostei e Eça é top, não me iria desiludir mais, decidi ler O Mistério da estrada de Sintra. Foi então que achei por bem dar um tempo nesta relação e parar de ler este autor. Continuo a dizer que é o meu preferido mas não com a mesma convicção.

    Eça de Queirós conquistou-me completamente com a Mefistófeles de Celourico, uma das minhas personagens preferidas de sempre =). Mas, ultimamente tenho lido uns livros fantásticos de outro autor português e creio que outras Mefistófeles futuramente me iram levar a trocar o Eça por um escritor mais jovem!!

    beijinhos =]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cátia,

      Ena um escritor nacional, muito bem e gostei bastante do único livro que li do escritor, Um Crime do Padre Amaro, ai o Amaro, malandro :D

      Muito bem, adorei conhecer a tua resposta e espero que vá mudando ao longo do tempo, sinal que vais conhecer ainda bastantes mais universos / escritores :D

      Bjs e boas leituras :)

      Eliminar
  19. Depois de muito pensar, acabei por optar por Agatha Christie:
    Agatha Mary Clarissa Christie, mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Os livros de Christie são os mais traduzidos de todo o planeta, encontrando-se pelo menos em 103 idiomas diferentes. Venderam mais de 4000 milhões no total e são superados apenas pela Bíblia e pelas obras de William Shakespeare
    Conhecida como "Duquesa da Morte", "Rainha do Crime", entre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne. Agatha Christie escreveu também sob o pseudónimo de Mary Westmacott.

    O que realmente adoro nesta autora é a atenção que ela dá aos detalhes e como cria crimes intrincados. A sua resolução passa por pequenas coisas que ao ler rotulamos de insignificantes, mas no fim tudo se encaixa perfeitamente e damos por nós a perguntar "como é não percebi isto antes"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Cata,

      Excelente escolha sem duvida, a MESTRE dos policiais, tudo o que li gostei em especial As Dez Figuras Negras :D

      Bjs e boas leituras

      Eliminar
  20. Olá...excelente ideia Fiacha :D
    Não é uma escolha fácil...mentira, claro que é fácil..A minha escritora favorita é Juliet Marillier..será preciso justificar? Excelente pessoa, a sua escrita é de uma qualidade que não consigo comparar, a imaginação e criatividade sopro constante dos seus dedos, magia a pingar no papel, estudiosa e perfeita na narrativa :)
    Já li praticamente todos os seus livros, e foi paixão que não sarou :D
    Mas pronto..há por aí tão bons escritores, muitos deixam um rasto de felicidade, boa companhia, conhecimento, diversidade...Também posso indicar mais um? :P Tolkien acima de todos..a imaginação ultrapassa explicações.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá miga,

      Excelentes escolhas miga do melhor que há sem duvida ;)

      Bjs

      Eliminar
  21. Olá Fiacha,

    Andaste a fazer pesquisa,lol.
    Escolher o meu autor preferido é difícil deixo aqui os que mais gosto:
    Ken Follett, desde que li Os Pilares da Terra fiquei rendida, adoro os romances históricos.
    Tolkien antes de saírem os filmes do Senhor dos Anéis devorei o Silmarilion e o Hobbit, depois vi os filmes do Senhor dos Anéis, já não sei quantas vezes já lhe perdi a conta, mas ainda não li os livros.
    Juliett Marillier, os seus mundos são fabulosos sempre cheios de magia.
    Anne Bishop, encanta-me as suas personagens e mundos cheios de maravilhas.
    Júlio Verne, penso que foi um percursor da Ficção Cientifica, por todas as coisas espantosas que aparecem nos seus livros.
    Nora Roberts, romances de aquecer o coração.
    Christian Jacq, romances cheios de aventuras passados no Antigo Egipto.
    Robin Hoob, pelo mundo extraordinário que criou nos seus livros.
    Nicholas Sparks, embora cada vez que leia um dos seus livros chore aba e ranho adoro as histórias cheias de emoções fortes.

    Penso não me ter esquecido de nenhum, e desconfio que a minha lista ainda vai aumentar.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      Pois assim é fácil, a questão é escolher apenas um ehehe, das tuas escolhas apenas ainda não li o Jacq mas tenho cá uma trilogia, penso que se passa no Egito ;)

      Vá escolhe o preferido e não os preferidos ehehe

      Bjs

      Eliminar
  22. Caro Fiacha,

    Alexandre Dumas, porque sim. E porque "O Conde de Monte Cristo" é fabuloso. É uma obra que quando vamos a meio, já estamos com pena de estar a acabar, mesmo quando ainda faltam 300 ou 400 páginas para o final.

    Os Três Mosqueteiros e A Tulipa Negra não lhe ficam nada atrás, bem com Vinte Anos depois.

    ResponderEliminar
  23. Olá TheKhan bem aparecido :)

    Tanta oportunidade que tive de ler Dumas mas nunca me dei ao trabalho e tenho lido comentários muito positivos aos seus livros, mesmo o Tulipa Negra, tenho que ler sem duvida.

    Fica registado e quero ver se leio sem duvida ;)

    Abraço e boas leituras

    ResponderEliminar