sexta-feira, 4 de abril de 2014

Crónicas da Luísa Bernardino



Hoje é o corvo que faz o papel da Caminhante e vem trazer uma mensagem de alguem que faz parte da familia Fiacha.

Garanto que será a primeira e a última vez (nunca digas que desta água não beberei :D ) que leio uma mensagem de alguem que convido para publicar no blog  tal como vocês gosto de ser surpreendido, mais a mais com receio de escrever mal, grande lata :D.




----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Olá a todos.

A pedido do amigo Fiacha venho partilhar com vocês a minha experiência de emigrante.

Faz agora precisamente dois anos que aqui cheguei. Posso afirmar convictamente que foi das melhores decisões que tomei. Para quem não sabe, eu estou no Canadá
Como sabem o Canadá é tão grande que tem mais do que um fuso horário. Portanto vou referir-me só à cidade onde me encontro, Edmonton.

Há uns anos atrás nem me passava pela cabeça deixar o meu país. Tanto eu como o meu marido trabalhávamos, tínhamos casa própria e, para ser sincera, não vivia mal. Naquela altura era assim que pensava. Até que tive o meu filho, e o nosso país infelizmente deixou de oferecer um futuro risonho para os jovens. Acho que a certa altura da nossa vida devemos ser um pouco ambiciosos. Ou pelo menos fazer por ter uma vida melhor e um futuro próspero. E assim decidimos vir para o Canadá, uma vez que tinha cá a minha irmã mais velha. No início foi bem difícil, é um começar de vida do zero.

Só com alguma roupa, uns trocos, sem telefone, carro e quase nada. Senti-me como se estivesse sem braços e pernas. Tive que tirar a carta de condução (a carta de condução internacional não me serviu de nada). Tive que aprender a andar de transportes públicos e metro. Tive que deixar o meu filho com estranhos sem ele saber dizer uma palavra em inglês. Posso dizer que o meu primeiro dia de trabalho foi angustiante. Pouco falava, preocupada com o meu filho e sem telefone para entrar em contacto com alguém. Mas uma coisa é certa nada se consegue sem sacrifico. E aos poucos a vida foi normalizando. Alguns meses depois tinha tudo o que precisava. Graças à ajuda da minha irmã, cunhado, sobrinha e excelentes amigos. O meu filho depressa começou a aprender inglês e hoje em dia ele ajuda-me nas minhas dúvidas.

Relativamente à cidade onde habito, confesso que fiquei surpresa, estava à espera de algo mais desenvolvido. É uma cidade enorme mas pacata. É uma cidade vulgar, sem nada de especial, não tem monumentos históricos, uma vez que é bastante recente, mas tem trabalho porque tem petróleo. Apresenta uma diversidade cultural que nunca imaginei que tivesse. Acho que aqui existem pessoas de todos os países do mundo. Incrível! Já tive a oportunidade de conhecer imensa gente da Europa, África, América. Gosto da mentalidade do povo Canadiano.

Recebem muito bem os estrangeiros (não têm outro remédio, são mais que muitos). Aqui há trabalho tanto para novos como para velhos. Fiquei admirada quando vi pessoas com a idade da minha mãe a trabalharem no hipermercado, em Portugal isso não acontece. Onde quer que vás, mesmo com roupa de trabalho as pessoas são atendidas de igual forma. Não colocam pessoas na rua só porque estão sujas. Não se vêm animais abandonados, é muito raro, e nesses casos, depressa são resgatados. Um aspecto que achei estranho é os filhos saírem de casa mal fazem 18 anos. É um alívio para os pais. Bem acho que o povo português não é assim. Nós somos muito protectores. O clima, não podia ser mais diferente. Meu Deus parece inverno o ano inteiro! Contudo acho que passamos menos frio do que em Portugal. As casas são bem preparadas e quentinhas. Os carros praticamente todos têm comando para se ligarem. Claro que é mais difícil para quem apanha transportes. Principalmente quando as temperaturas descem abaixo de 40º negativos. A alimentação não é grande coisa. Muito ao estilo americano, fast food. Embora devido à diversidade cultural também possamos comer comida ao estilo de outros países. Ainda assim é um país onde se tem uma qualidade de vida bastante boa. Ganhamos o suficiente para isso. Sinto-me muito feliz aqui. Embora anseie por visitar Portugal.

Espero em breve poder abraçar os familiares que deixei para trás e que tanto me custou. Comer queijinho de ovelha maravilhoso com pão caseiro, picas de chouriça. Comer a comidinha da mãezinha. Que saudades de tudo!

Estou longe mas trago sempre Portugal no coração, é o nosso orgulho :).

40 comentários:

  1. Olá amiga Luisa,

    Antes demais para quem não sabia escrever não perdeste tempo e deixa que te diga conseguiste-me emocionar, não penses que não sou sensivel a este tipo de comentário/ situação, mas acima de tudo obrigado por partilhares um pouco da tua história :)

    Não deve ser nada fácil tomar uma decisão como a tua, mas realmente o nosso pais está a ser muito mal governado o que obriga a muitos jovens e não só a tomarem a decisão de sairem do pais, o que realmente é triste, pois assim não acredito que o nosso pequeno Portugual vá para a frente e são muitas as coisas que podia criticar e condenar, mas pronto não vamos por ai que nem vale a pena.

    Admiro a tua coragem, mas tenho que dizer isto, ainda assim tiveste sorte na vida, há muito português a ser mal tratado por esse mundo fora, infelizmente e tiveste uma familia que te acolheu, que te ajudou e que te ajudou a que atualmente sejas feliz, ainda bem que assim é :D

    E escolheste bem, bem sei que o nosso pais não tem igual mais a mais sendo um pais soalheiro de boas gentes, mas realmente o Canada deve ser dos paises mais desenvolvidos que há no mundo, embora o clima deva ser das coisas mais dificieis de enfrentar, mas mais que isso é estar longe dos nossos e do nosso Pais, bem mas estou a divagar :P

    Desejo-te as maiores felicidades, que saibas que tens aqui um cantinho onde és sempre bem vinda, que a tua biblioteca se construa de forma rápida, sei que vais ter ai um evento de venda de livros onde por exemplo por menos de 1€ consegues comprar o Tigana do Gavriel Kay, aproveita bem, pois o Canadá tem escritores fantásticos.

    Bem e já agora é fácil ir para o Canadá ? É que não foi assim à muito tempo que houve uma crise por ai com os imigrantes, mas espero que te passe ao lado :D

    E pensas voltar para Portugal ou não vês futuro por estes lados ? Penso que estás num pais de top a nível de condições, tirando o clima e acredito que vendo como as coisas estão não devas ter muita vontade de regressar, pelo menos tão depressa :D

    Bem obrigado mais uma vez pela mensagem e que o SLB te ajude a suportar as dificuldades ehehe

    E para finalizar, por agora, parabens pelos 2 anos e pelo aniversário da tua mãe, mas isto é só amanha :D

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha
      Continuo a dizer que não tenho jeito para escrever. Pelo menos não da forma como vocês o fazem. Adiante...
      Fiacha como referi o Canadá é enorme e o clima é mais moderado noutras cidades. Há locais aqui que parecem o Alentejo até mesmo em clima.

      Quanto aos livros, tenho a sorte de trabalhar numa associação para seniores de vez enquanto fazem estes book sale que são doações feitas pelos mesmos. Compro livros a muito bom preço, falta mesmo é ler fluentemente inglês. Não é só nos livros que encontramos estes preços. De facto aqui proporcionam uma vida digna as pessoas. E vou dar um exemplo, antes do Natal colocam tudo em promoção parece que as lojas e hipermercados competem por ter os preços mais baixos, permitindo assim os cidadão ter um óptimo natal. E acontece muito ao longo do ano. Em Portugal é sempre a seguir ao Natal. Aqui a seguir ao Natal tens o Black Friday e aí é que encontras certas coisas a um preço incrível. Portanto aqui corre bem porque as pessoas têm poder de compra.

      Vir para aqui? É difícil. Nem imaginam o quanto. O meu marido tinha contrato de trabalho porque o meu cunhado tem empresa própria. Foi um pouco mais fácil embora não completamente. para teres noção, eu vim como turista. Só depois de cá estar pedi permissão para trabalhar. Para poder-mos ficar sem problemas e não precisar-mos de contractos de trabalho precisamos de ter residência permanente e para isso é um processo muito longo. O governo obriga a fazer testes de inglês na escrita, audição, fala e um outro que não me lembro e é preciso passar neles todos. E ainda é preciso fazer exames médicos. Quem pensa que pode vir para aqui como quem vai para um país da Europa, está muito enganado. A crise que aqui houve com os açorianos foi porque estavam cá clandestinamente, Sem fazerem deduções para o estado. Não acontece comigo porque tenho tudo em ordem.

      Ir a Portugal? Só de férias. tenho uma vida tão confortável aqui achas que pretendo ir contar trocos outra vez? Não quer dizer que tenhamos vidas de lordes. Trabalhamos bastante e nem tenho gozado quase férias (estou a tentar guardá-las para ir a Portugal). Os dolares não nos caem do céu. Mas tenho uma vida aqui que em Portugal não tinha.

      É verdade faz 2 anos que aqui cheguei e é o aniversário da minha mãe.
      Obrigada pelo apoio. É bom ser acarinhada quando se está longe.

      Eliminar
    2. Estás a arranjar maneira de ir para o Canadá lol, mais a mais tem locais onde o clima é tão bom como por cá :D

      Nesse caso faz sentido e divia ser como no Canada, quem trabalha tudo bem quem não trabalhe regresse aos seus paises, mas pronto sto pode parecer um pouco cruel :(

      Aproveita então e compra ai uns bons livros :D

      Ora essa fazes parte da familia do blog ;)

      Eliminar
  2. Olá!
    Estamos habituados a ouvir "um dia de cada vez, logo se verá..." Tu fizeste exatamente o contrário, olhaste o futuro e quiseste melhor para o teu filho. Agarraste uma oportunidade, tiveste a coragem de sair da zona de conforto! És uma lutadora.

    Em relação ao texto. Disseste muito em poucas palavras. Esperamos a próxima crónica ;)

    Bejinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cátia,

      Como não me lembrei dessa palavra, sem duvida a Luisa é uma lutadora :)

      Sem duvida há aqui tanto para debater, mas pronto acima de tudo que o nosso Portugal proporcione que os seus tenham orgulho no seu pais e que reunam condições para regressar e saber que a Luisa é feliz, otimo :D

      Bjs

      Eliminar
    2. Olá Cátia não foi fácil tomar esta decisão. Mas há oportunidades que só surgem uma vez e eu já disse várias vezes, saiu-me a sorte grande.
      Vim para um país desconhecido tão longe de tudo e de todos tive sorte por ter aqui uma irmã e um cunhado que se for preciso tiram a roupa do corpo para me dar.
      É verdade quando dizes que saí da zona do conforto. Tinha uns sogros maravilhosos. O meu filho estava num infantário com todo o conforto e fazia uma alimentação boa. Aqui também são confortáveis os infantários mas não se comparam aí. Eu tenho que mandar a alimentação do meu filho todos os dias. E nem se preocupam muito se come ou não. Tu sabes que aí o infantário elas são bastante cuidadosas. Principalmente com a alimentação. O meu pequeno teve que abrir os olhos. rsrs
      Beijinhos e obrigada pelas palavras de carinho.

      Eliminar
  3. Luisa
    És uma mulher de coragem e inteligente

    tens capacidade para ser e fazer tudo o que quiseres, entendo que ao príncipio as coisas foram dificeis,
    mas agora tudo te irá correr bem. Gosto muito da maneira como escreves, e eu sei sou Prof.
    Não pares de fazer projetos para o futuro, serás sempre bem sucedida

    bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Elsa :)

      Sem duvida mulher de coragem, bem visto e nada como lutarmos por uma vida melhor, nestas coisas custa sair do nosso pais, afinal apenas queremos ganahr a vida de uma forma honesta e ainda por cima não podemos estar no nosso pais, mas pronto está a correr bem e isso é o mais importante :D

      Bjs

      Eliminar
    2. Elsa muitas são as vezes que as pessoas me perguntam porquê eu vim para aqui. Dizem sempre temos um país lindo, com paisagens lindas, praias, montanhas etc. Não compreendem o porquê. Eu digo que não sabem porque não sabem como é viver a contar trocos.
      Confesso que me faz alguma confusão ver pessoas na miséria aqui. Porque há tanto trabalho, não sei como há pessoas que vivem mal.
      Mas sim concordo que devemos lutar por uma vida melhor. E graças a deus a experiência não está a correr mal.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Olá Luisa
    É de facto preciso ter uma força de vontade muito grande para largar quase tudo e partir para o outro lado do oceano. Mas de facto cada vez, infelizmente, parece que é mais necessário, entre os casais e jovens.
    Espero que tudo te corra muito bem.
    Gostei muito do teu texto, que nos diz muito nas suas entrelinhas, a tua saudade, amizade e muito mais :)
    beijinhos e tudo de bom, sê feliz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah esqueci-me : e que a tua biblioteca cresça muito em livros, em personagens e em sonhos, porque sonhar é "uma constante da vida"

      Eliminar
    2. Ois Caminhante,

      Faço minhas as tuas palavras, no fundo muita coragem e sim vai haver agora uma feira do livro onde comprar por exemplo Tigana, sem divisões por um euro lo, não fosse tanto frio até eu ia para lá, Salmão não deve faltar :D

      bjs

      Eliminar
    3. Olá caminhante
      Foi mesmo difícil tomar a decisão de vir. Mas volto a repetir, vale a pena. E ver a felicidade do meu filho quando lhe proporciono o que ele gosta é magnifico.
      Ah a minha biblioteca! Já tenho uma estante cheia e sem espaço para mais livros. Estou feliz, tenho muitos novos livros para ler em português. Em inglês também tenho bastantes mas e tenciono adquirir mais. Preciso é de aperfeiçoar a língua.
      E Fiacha não é um euro mas sim um dólar. E visto que o euro é mais alto que o dólar significa que um livro custa-me menos de um euro. Mas atenção só compro os livros a este preço porque trabalho num sitio onde oferece esta excelente oportunidade.
      Quando tiver a minha casa aqui tenciono guardar uma sala/quarto para a minha biblioteca depois terei todo o gosto em mostrar-vos.

      Beijinhos e obrigada pelas mensagens de carinho e força

      Eliminar
  5. Olá Luísa,

    muito obrigada por partilhares as tuas palavras e as tuas emoções connosco. Foi com grande agrado e emoção que li a tua crónica. É precisa muita perseverança, força de vontade e esperança para deixar uma terra e o que nela está e partir para outra, que ainda por cima não é assim tão perto.

    És uma lutadora, uma mulher cheia de força e de coragem. Espero que corra tudo bem, que tenhas tudo de bom e aquilo que desejas.

    Escreves muito bem, apesar de dizeres o contrário. Acho que o teu texto está muito bom, muito concreto e bem explícito, cheio de emoção. Muito bem =)

    Beijinhos e que sejas muito feliz e toda a tua família =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria,

      Não querendo estar a repetir-me faço minhas as tuas palavras, uma mulher (familia) de coragem e curioso só lhe disse para escrever algo porque me disse que não sabia escrever, então disse-lhe vamos lá sem stress apenas um tema que queiras escolher e isto nem à 2 dias atrás e olha só...até comove sem duvida :)

      Estás convidada ehehe

      Bjs

      Eliminar
    2. Vocês não querem é desmotivar-me na escrita hehe.
      Olá Maria
      De facto também me emocionei a escrever. Porque sei o que custou o inicio aqui. Também me custou muito despedir dos meus pais principalmente da minha mãe. Não mencionei nas crónicas porque me custou a escrever não tive coragem. Tive a sensação que não a voltava a ver. Espero em breve poder abraçar a família que deixei aí.
      Obrigada um beijinho

      Eliminar
  6. Apetece-me fazer as malas e ir para o Canadá agora :o

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ois Cata,

      Sem duvida, eu tenho muito orgulho no nosso pais, penso que temos tudo para sermos felizes apenas estamos mal governados, não temos ouro, petroleo, diamantes, mas temos Sol, boas praias, boas gentes, um pais lindo e é triste ver tanto jovem e não só a ser obrigado a siar do nosso pais e a Luisa é sem duvida um cado feliz e ainda bem :D

      Bjs

      Eliminar
    2. Cata não é assim tão simples.
      Não te esqueças que por vezes vimos fazer aqui os que os que cá estão não querem. Nem tudo é um mar de rosas. Mas por vezes temos que arriscar. Nem sempre corre bem com toda a gente. Lembra-te que há muita gente que arrisca e corre bem mal. Aconselho a quem quer vir para aqui a vir só se tiverem alguém conhecido de outra maneira é arriscar muito.
      Beijinho

      Eliminar
    3. É só que,,, às vezes apetece-me sair daqui e nunca mais voltar :/ Mas tenho perfeita noção que não é simples, é arriscado e exige muito trabalho.

      Anotado ^^

      Eliminar
    4. Compreendo perfeitamente o que queres dizer.
      Nós quando viemos já vínhamos com tudo definido. A minha irmã já tinha a casa preparada para nos receber. O meu marido já vinha com trabalho certo. E eu só precisei de esperar pelo meu visto de trabalho comecei a trabalhar passados dois meses. Também tive sorte nisso. Eu trabalho para a cidade é o mesmo que trabalhar para a câmara. Tenho benefícios que é o mesmo que ADSE.
      Assim é bom não é? Mas na semana passada conheci uma senhora que está cá a 10 anos e não tem nada disto. Mas sinceramente acho que por vezes vai da forma como encaramos a vida. E eu quero muito ter uma vida melhor então luto por isso também eu e o meu marido.

      Eliminar
  7. Olá Luísa :)
    Apesar de não te conhecer pessoalmente sempre te admirei pela pessoa que és, o bom coração que tens. Concordo que és uma lutadora e muito corajosa e tens-te aguentado firme e perseverante. Não duvido, tal como a tua amiga de palavras bonitas (Elsa Esteves ^_^) de seres e fazeres o que quiseres :D basta que que caminhes com passos do coração ;)
    Por isso muita força e boa continuação pela concretização dos teus sonhos. Quanto ao teu texto, está muito bonito sem dúvida e é muito útil para todos nós, um testemunho de sacrifício, força e de muito amor :D
    Reitero que devias criar uma página tua para as tuas aventuras ;)
    Beijinhos amiga :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla
      Obrigada pelas palavras de carinho.
      É verdade já conversamos há tanto tempo e não nos conhecemos pessoalmente. Ainda estava em Portugal quando por vezes conversávamos.
      Criar uma página minha? Não tenho tempo. Por vezes nem tenho tempo para ler quanto mais perder tempo com blog. Não tenho muita paciência. Mas obrigada pelo incentivo.
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Olá Luísa e Fiacha,

    É preciso ter coragem para começar a vida do zero num país estranho, sem conhecer a língua e conhecendo poucas pessoas lá.
    Admiro que tem essa coragem porque acho que eu não conseguia fazer isso eu sou muito agarrada as pessoas e as coisas que tenho, e não conseguiria ir-me embora sabendo o que deixava para trás.
    Ainda bem que tudo acabou em bem como se costuma dizer, mas há muita e parte sem ter sequer lá família nem trabalho e depois anda fica pior do que estava cá.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  9. Olá Angelina
    Tu conseguias tenho a certeza. Eu pensava como tu. Mas quando comecei a ver a empresa onde trabalhava a ir abaixo comecei logo a pensar em soluções. E esta foi uma delas. Quando vim para aqui eu já estava desempregada em Portugal. E propostas de trabalho nem vê las. Então a coragem vem e pronto. Ou é isto ou era uma vida triste e com dificuldades. E quando penso nisso dá-me mais força e coragem para enfrentar o que me surge.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Partir é difícil, e por isso louvo a tua coragem. Criar uma nova vida longe de tudo e de todos não deve ser nada fácil, mas ainda bem que tudo correu bem contigo e claro espero que agora e apesar das dificuldades possas começar a ler Ficção Cientifica :P

    Mas não posso deixar de passar a oportunidade para deixar uma palavra de coragem para todos aqueles que ficam cá contra todas as probabilidades, pois se todos reconhecemos que partir não é fácil ficar não é menos.

    Um abraço e mais uma vez tens de ter uma mente mais aberta em relação a FC e vais descobrir que tu e ela tem mais em comum do que imaginas ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva marco,

      Grande verdade os que cá ficam é necessario muita coragem e um pouco de sorte na vida, pois da maneira que as coisas estão não se tem confiança em nada, podes ter um bom emprego mas de um momento para o outro pode acabar e depois ? Complicado dai concordar contigo ;)

      Abraço e sim a Luisa vai ler mais FC ehehe :D

      Eliminar
  11. Olá Marco e Fiacha é verdade sim é difícil deixar o nosso país como eu já referi mais vezes. E Marco concordo contigo is portugueses precisam de coragem e esperança e ter fé que um futuro melhor virá.
    Eu não quero desanimar ninguém mas de
    sde que cheguei aqui eu só ouço falar de crise nos canais portugueses. Porque crise aqui não se sabe o que é. E a vida é mesmo assim perdemos certas coisas que gostamos para ganharmos outras.
    Por vezes fico muito incomodada e revoltada ver o que se passa aí. Eu vim para aqui mas o meu coração está aí. E a minha família e amigos também não deixo de me preocupar.

    Quanto a leitura, Marco eu ainda sou muito maçarica tenho muito que descobrir. A minha preferência é a fantasia embora noutros tempos não. Acredito que ao longo do tempo as nossas exigências vão aumentando e vamos precisando de algo novo e que nos motive. Quem sabe um dia ainda vou ser fã de FC.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como disse esse grande humoristas que é o Ricardo Araújo Pereira a propósito deste crise (portuguesa): "Isto é Portugal, estamos em crise desde 1143"

      E já agora uma conversa que o inimitável Quim Barreiros revelou, também a propósito da crise claro, ele que desde a década de 1970 percorrer não só o nosso pais mas também as comunidade de emigrantes por esse mundo fora, Canada incluído. Conversando com um emigrante, na Suiça (se não me engano), o emigrante dizia que isto agora é que era uma crise, como as coisas em Portugal estavam más, etc, o Quim virou-se para ele perguntou-lhe.
      - À quanto tempo é que estás na Suiça? - O Emigrante disse que já lá estava à mais de 30 e o Quim perguntou.
      - E porque é que vieste para cá? - Ao que o Emigrante respondeu que tinha vindo porque na altura as coisa estavam más em Portugal

      É preciso dizer mais? Também não me agrada ver o fluxo este de emigração, mas a verdade é que não é a primeira vez e a outra nem foi assim à tanto tempo. Claro que uma coisa é lermos sobre o assunto nos livros ou ouvir falar os nossos familiares outra é vivermos nós isso.

      É verdade, ao longo do tempo a nossa exigência aumenta, dai muita daquela polémica com a Saída de Emergência e a colecção Bang pois parecia, para muitos de nós, que iria ser uma colecção que iria ser de conteúdo adulto. Espero que mantenhas uma mente aberta pois a FC tem algumas das melhores histórias que possas imaginar, mas claro que é preciso alguma bagagem quer de vida quer literária para ser devidamente apreciada.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Marco eu acho que Portugal sempre foi um país de emigrantes. A taxa de escolaridade sempre foi baixa. Imagina, é difícil para quem estuda, imagina o quanto será para quem não o faz.

      Eliminar
  12. Olá Luísa. :)

    Gostei muito de ler o seu testemunho sobre esta realidade que é a emigração. Acredito que seja mesmo muito difícil deixar o nosso país, muitas vezes deixando família e amigos para trás e por isso concordo com as opiniões, é realmente uma mulher de coragem. perseverança e muita força.

    Com a actual conjuntura não nego que já pensei na possibilidade de sair do país, contudo confesso que não sei se tinha essa coragem. É um pouco difícil para mim pensar em deixar tudo para trás, partir para o desconhecido e deixar todos os que amo, pois se o simples facto de mudar de cidade para estudar me custou, quanto mais mudar de país. :P

    Mais uma vez agradeço o seu relato, gostei mesmo muito de conhecer a sua experiência e desejo-lhe todas as felicidades do mundo. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rita Obrigada pelo carinho.
      Eu vou repetir-me um pouco. Mas eu já pensei como tu. Anos atrás para mim era impensável sair de Portugal. Mas a certa altura eu estava a desanimar e pensava que não era a vida que tinha em Portugal que eu queria e muito menos para o meu filho. Arrisquei e tenho tido sorte. Embora haja muito nia gente que nem tanto. Por vezez a vida é feita de escolhas e eu acho que fiz a escolha certa. Estou muito feliz, e o meu filho também.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Olá a todos!

    Quem é que te disse que não sabias escrever Luísa?! (Vou repetir-me) Gostei muito das tuas palavras e só me deixam a pensar ainda mais em não ter medo de arriscar. Também me passa pela cabeça sair de Portugal e começar uma nova vida noutro lado, onde tenha perspectivas de um futuro melhor, mas quando me ponho a pensar no que deixo para trás por vezes perco a determinação... Depois levo mais um pontapé deste país e a vontade volta a crescer :)

    Fiacha, continua a apostar assim nos teus seguidores e a descobrir os talentos escondidos que por aí andam ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cristina,

      Sim é para manter sem duvida, tem sido uma experiência muito interessante mais a mais a ver como os seguidores se dedicam ao máximo na elaboração das mensagens, este foi o único que foi publicado e que tive conhecimento antes, mas acho que a Luísa deu-nos uma grande prova de força, um exemplo de coragem e fico contente que tenha palavras de apoio aqui de portugal, acredito que lhe dê ainda mais força :D

      Bjs e quem sabe um dia não te convide eheheh, quem sabe sobre a Holanda :D

      Bjs

      Eliminar
  14. Olá Cristina
    Passei pelos mesmos dilemas que tu. Havia alturas que tinha vontade de arriscar. Depois quando pensava no que deixava para trás também perdia a determinação. Até que por certas razões decici que tinha de ser. Estava mesmo saturada da minha vida em Portugal. Pensei que seria um excelente oportunidade de começar do zero. E foi bom. Fiz a escolha certa.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Adorei a crónica, Luísa!
    Mais uma história como as que todos os dias nos chegam, quer pela comunicação social, quer pelo relato de familiares e amigos.
    Mais um testemunho tocante, de alguém que lutou por conseguir uma vida melhor e conseguiu! Parabéns pela coragem e determinação!
    E obrigada pela partilha desta história de sucesso!
    Felicidades! :)
    Jokitas

    ResponderEliminar
  16. Obrigada Paula
    A minha história infelizmente é comum em Portugal pessoas que deixam o país na esperança de uma vida melhor. Felizmente para mim que correu bem.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  17. Olá Luísa,

    Primeiro deixa-me agradecer por teres partilhado um pouco da tua vida connosco!
    Segundo deixa-me dar-te os parabéns por seres a lutadora que és! Muita gente não teria tido a tua coragem! Posso dizer-te que a maioria das pessoas que quer "mudar de país" não faz a mínima ideia do que isso é…

    Eu com 15 anos fui viver para o Brasil… fui com os meus pais e irmã… claro que a minha cabeça de 15 anos era muito diferente de uma cabeça de uma mãe que vai em buscar de melhor vida… mas não foi fácil… simpatizo muito com as tuas palavras quando dizes que te sentias sem braços e sem pernas… uma pessoa fica, momentaneamente, sem norte… mas as coisas compõem-se… e ainda bem que as coisas para ti se compuseram bem :) Com muito trabalho e esforço mas pelo menos estás bem agora :)

    As tuas palavras fazem lembrar a minha irmã que está longe… ela também se viu obrigada a procurar uma vida melhor para ela e para os filhos… hoje mora com os meus dois sobrinhos (de 3 e 7 anos) na Alemanha… se permites ser egoísta… tenho saudades deles todos os dias! Mas reconheço que é para o bem de todos… apesar de ser difícil para quem fica e para quem vai…

    Sei que é difícil estar longe mas o nosso coração está sempre com quem nos é mais importante! E se estás bem aí então é porque é o local mais acertado para estares!

    Conheço o Canadá e sei como é difícil ir para lá (tenho uma amiga investigadora que está a acabar o doutoramento no Canadá e sei bem o que ela está a passar para conseguir ficar). É uma batalha que já tens ganha :) O mais difícil já passou! :) Agora é "só" a luta diária… :)

    Basicamente só queria que soubesses que a tua história inspira… és uma lutadora e uma corajosa… espero que tudo te corra bem pelas terras frias!

    Beijinhos e muito boa sorte para ti e para a tua família!

    ResponderEliminar
  18. Olá Wavegirl
    Obrigada pelas tuas palavras. Vê-se que são de alguém que sabe o que é deixar o país e os que amamos.
    Foi dificil o início. Acho que ainda não referi mas mesmo para o meu filho foi bastante difícil. Ele tinha quatro anos. E nós (pais) notamos muita diferença no comportamento dele. Mais nervoso, ansioso, tinha pesadelos, tive dificuldade em controlá-lo nalguns momentos, parecia que estava em transe por vezes. Foi uma mudança grande. Agora já se adaptou.
    Mais uma vez obrigada pelas tuas palavras. Foram muito calorosas.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Adorei o texto!!! O Canadá é um país que me fascina muito! Conheço lá alguns emigrantes, também, amigos dos meus pais e gostava muito de um dia ir trabalhar para lá! :)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar